Hamilton defende retorno da F1 ao continente africano

motorsport.com

Desde 1993, a Fórmula 1 não realiza uma corrida na África, sendo o único continente habitado no mundo que não recebe uma prova da principal categoria do automobilismo mundial neste momento. 

Na última edição do GP da África do Sul, disputado no circuito de Kyalami, a prova abriu o calendário da temporada 1993 e a vitória ficou com Alain Prost e a Williams, iniciando a trajetória que finalizou com o tetracampeonato do francês. 

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também:

Red Bull e Ferrari analisam impacto dos novos protocolos de segurança nas atividades da F1Giovinazzi comenta sobre a possibilidade de três GPs na Itália: "Seria muito legal, sou um grande apoiador"F1: Mugello deve sediar GP 1.000 da Ferrari, diz site

Recentemente, a pista passou por uma grande renovação após ficar próximo de fechar as portas e, aos poucos, volta a receber provas das principais categorias do automobilismo. Mais recentemente, o Mundial de Endurance (WEC) anunciou que faria sua primeira prova em solo sul-africano em 2021, mas o calendário está provisoriamente suspenso devido ao impacto da pandemia na temporada atual.

Para o hexacampeão Hamilton, um de seus maiores desejos dentro do esporte é disputar uma corrida de F1 na África. Em entrevista às redes sociais da Petronas, empresa petrolífera que é a patrocinadora master da Mercedes, o britânico foi perguntado sobre qual local ele escolheria para ter uma corrida da F1 no futuro. Sem pestanejar, ele respondeu:

"Fácil, a África!", disse Hamiltom. "É um lugar muito importante para voltar. A Fórmula 1 deve mudar para ser um esporte que vai a determinados lugares e ir atrás de algo para ajudar as comunidades".

"Acho que é preciso prestar mais atenção à África e reforçar sua importância. É o lugar mais importante que precisamos ir".

Raio-X de Hamilton: veja a metamorfose e as histórias inéditas do maior piloto da F1 na atualidade

PODCAST: F1 pronta para volta! Sérgio Sette Câmara explica como será protocolo detalhado

Your browser does not support the audio element.

Leia também