Polícia alemã investiga se explosões em Dortmund foram ataque islamita

Berlim, 12 abr (EFE).- A polícia da Alemanha investiga se as três explosões registradas na terça-feira, próximo ao ônibus da equipe do Borussia Dortmund, foram por conta de um ataque islamita, após encontrar uma carta no local em que se referia a missão militar alemã em Síria, segundo informações do jornal "Suddeutsche Zeitung".

Segundo este meio e as emissoras regionais "NDR" e "WDR", os investigadores não descartam que os autores tenham deixado uma pista falsa.

A carta, segundo a imprensa local, começa com referências a "Alá, o clemente, o misericordioso", se referia ao atentado jihadista ocorrido em dezembro no ano passado, em um mercado natalino de Berlim e denúncia que aviões tornados alemães participam do assassinato de muçulmanos no califado do autodenominado Estado Islâmico (EI).

Por esse motivo, continua, atletas e personalidades da "Alemanha e outros países da cruzada" estão na lista de objetivos do EI até que os Tornados sejam retirados e se feche a base americana situada em Ramstein.

Oficialmente, a polícia se limitou dizer hoje que a investigação continua, mas sem dar detalhes, que continua analisando a veracidade da carta.

Segundo o jornal "Die Welt", a Promotoria federal assumiu a investigação e o Escritório Federal de Investigação Criminal alemão (BKA) criou uma unidade de crise em Berlim.

O ataque aconteceu em torno das 19h15 (hora local; 14h15 de Brasília), quando três artefatos explodiram durante a passagem do ônibus do Borussia Dortmund seguia para o estádio Signal Iduna Park, quando teria a partida contra o Monaco, pelas quartas de finais da Liga dos Campeões da Europa. O jogo acabou adiado para hoje.

O único jogador ferido foi o espanhol Marc Bartra, operado ontem à noite em um hospital de Dortmund ao fraturar a mão, de acordo com informações divulgadas pelo clube.

Além disso, um policial que fazia escolta do ônibus também ficou ferido. EFE