CAS ratifica proibição de empresários serem donos de "passes" de jogadores

Redação Central, 10 abr (EFE).- A Corte Arbitral do Esporte (CAS) anunciou nesta segunda-feira sua decisão sobre o recurso do clube belga Seraing - sancionado pela Fifa por descumprir sua norma relativa ao Estatuto e Transferência de Jogadores - e confirmou a proibição de investidores serem donos de direitos econômicos de jogadores.

Apesar de reduzir o tempo de sanção imposto pela Fifa à equipe belga, por ser "muito severa", e baixar de quatro para três janelas de transferências o período em que o clube não poderá fazer contratações, a CAS decidiu que os artigos 18b e 18c da norma sobre esta matéria estão em conformidade com a lei no que diz respeito à liberdade de movimento, competição e direitos humanos.

A Comissão Disciplinar da Fifa sancionou o Seraing por descumprir a regra sobre a propriedade dos direitos econômicos de jogadores por parte de terceiros (TPO) e a influência destes ao violar os artigos citados.

Além de impedir o clube de fazer contratações nacionais e internacionais durante quatro janelas de transferências, a Fifa também lhe impôs uma multa de 150 mil francos suíços.

O clube compareceu há um ano à Corte, que reduziu o tempo de punição e considerou adequada a normativa da Fifa, adotada, segundo esta, "para preservar a independência de clubes e jogadores em matéria de transferências e para garantir as integridades dos jogos e das competições". EFE