Há oito anos, Cássio sentia aprovação dos corintianos pela primeira vez


Em 3 de maio de 2012, desembarcava no Brasil um goleiro que, pela primeira vez, sentiu o que é ser aprovado pela torcida do Corinthians. Hoje entre os jogadores com mais títulos na história do clube, Cássio, há exatamente oito anos, percebeu no aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, a repercussão de sua atuação no empate por 0 a 0 diante do Emelec, no Equador, pela Libertadores.

O jogo era a primeira de mata-mata da equipe naquela edição do torneio. O técnico Tite tinha acabado de decidir sacar o goleiro Júlio César, responsável por falhas na eliminação no Campeonato Paulista dias antes. Naquele 0 a 0 em Guaiaquil, Jorge Henrique foi expulso no começo do segundo tempo, e Cássio virou herói, com uma sequência de defesas, principalmente com o time em inferioridade numérica. Torcedores o agradeceram no desembarque.

- Acho que tive, sim (uma atuação digna de um titular), mas cabe ao Tite decidir. Estou fazendo meu trabalho, espero que o professor tenha gostado. Quero continuar assim no time e dar conta do recado - disse, na época, Cássio, que, antes do Corinthians, pouco tinha atuado no futebol brasileiro, só em algumas partidas pelo Grêmio, clube que o revelou, e surpreendeu com sua calma.

- Não fiquei nervoso. Claro que tem a ansiedade pela situação, acho que todo time teve, mas fomos bem. Mesmo com um a menos, nos portamos bem em campo. Para mim, o mais importante foi a gente não ter perdido. Agora basta uma vitória - falou o goleiro, em 3 de maio de 2012, então com 24 anos de idade, mesmo número da camisa que utilizou naquela Libertadores.

A sequência é conhecida: na volta das oitavas de final, 3 a 0 para o Timão sobre o Emelec, no Pacaembu, Vasco eliminado nas quartas de final, com a marca de Cássio em grande defesa em chute diante de Diego Souza, o então atual campeão Santos deixado para trás nas semifinais e, na decisão, o argentino Boca Juniors foi superado. Sempre com o goleiro como destaque.

Oito anos após estrear, Cássio conquistou pelo Corinthians os Campeonatos Paulistas de 2013, 2017, 2018 e 2019, os Brasileiros de 2015 e 2017, a Recopa Sul-Americana de 2013 e a Libertadores e o Mundial de 2012. Está entre os 15 jogadores que mais atuaram pelo clube, acumulando 463 partidas.

A dúvida agora é em relação a quando será o próximo jogo de Cássio e do Corinthians. O elenco foi liberado por tempo indeterminado das atividades em sedes do clube por conta da pandemia do coronavírus e, na última quinta-feira, foi anunciada a redução de 25% dos salários registrados em carteira do grupo.








Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também