Há mais de 20 anos, Brasil é o "dono" da lateral-esquerda do Real Madrid

Na última terça-feira o Real Madrid conseguiu uma impressionante classificação em cima do Bayern de Munique para as semifinais da Champions League. Com um Cristiano Ronaldo decisivo, os merengues venceram por 4 a 2 na prorrogação e se garantiram pela sete vez seguida na penúltima fase do torneio. Mas os holofotes do triunfo não ficaram em cima apenas de CR7, ao lado dele, o brasileiro Marcelo brilhou com uma atuação exuberante em seu 400 com a camisa Blanca. Marca que o deixa atrás apenas de Roberto Carlos (527) como o estrangeiro com o maior número de jogos com a camisa do Real Madrid.

Marcelo Real Madrid Bayern Champions League 18 04 2017


(Foto: Getty Images)

Há mais de 20 anos, inclusive, a lateral-esquerda do time merengue pertence ao Brasil. Foram 11 intensas temporadas de Roberto Carlos que o colocaram entre os maiores jogadores da história do clube espanhol. Em sua passagem, além de fazer parte dos "galáticos" ao lado de Zidane, David Beckham, Raúl, Casillas, Figo, Ronaldo e tantos outros, faturou três titulos da Champions League e quatro títulos do Campeonato Espanhol além de outras taças de menos expressão. 

Ronaldo Roberto Carlos


(Foto: Getty Images)

Foi com a camisa merengue também que Roberto ganhou notoriedade no futebol mundial e se consolidou como o dono da lateral-esquerda da Seleção Brasileira. Na temporada 97-98 marcou o gol que ficou conhecido como o "impossível" num duelo contra o Tenerife pela Copa do Rei da Espanha. Ele acertou um chute potente e veloz da linha de fundo a um ângulo de 179 graus da trave.

Quando o reinado de Roberto Carlos na lateral do Real Madrid acabou, ninguém imaginava que Marcelo, aquele menino que chegou do Fluminense como uma aposta a longo prazo da equipe se tornaria tão ou até mesmo mais ídolo que o ex-camisa 6.

Mas o carioca deu sequência a dinastia brasileira na lateral-esquerda blanca, apesar de ter sido escalado em várias oportunidades como ala se consolidou na sua posição de origem. No início sofria com alguns problemas de marcação é verdade, mas soube trabalhar os defeitos e se aperfeiçoar para se tornar hoje o melhor jogador do mundo na sua posição.

Ramos Marcelo Real Madrid


(Foto: Getty Images)

A idolatria de Roberto Carlos no Real Madrid é indiscutível, a de Marcelo também, hoje ele se tornou ao lado de Sergio Ramos e Cristiano Ronaldo o principal símbolo do madridismo. Diferente de Roberto Carlos que conquistou os torcedores com seus chutes potentes e faltas certeiras, o camisa 12 tem um drible refinado, uma condunção de bola diferenciada e uma penetração pelo meio que se tornou uma das armais mais letais dos merengues.

Aos 28 anos, Marcelo chegou ao mesmo número de temporadas de Roberto Carlos no Real Madrid, já são dois títulos de Champions League, 3 campeonatos espanhóis, dois mundiais entre tantas outras taças de menor expressão. Ele balançou as redes 27 vezes, uma delas numa final de Champions contra o Atlético de Madrid.

Mais novo e no auge de sua carreira o brasileiro tem tudo para ultrapassar o ídolo Roberto Carlos tanto em número de jogos quanto de títulos pelo Real Madrid. Falta agora uma Copa do Mundo em seu currículo para que seja imortal também vestindo a camisa da Seleção e apagar a triste derrota para a Alemanha na Copa de 2014.