Gustavo Scarpa vive “agora ou nunca” para deslanchar pelo Palmeiras

Goal.com

Contratado a peso de ouro depois de disputa pública entre Palmeiras e São Paulo, Gustavo Scarpa chegou ao Allianz Parque para ser o camisa 10 do clube, a peça que faltava para o Verdão conseguir ter um volume de jogo ainda maior. Dois anos depois, ainda não conseguiu reencontrar o bom futebol dos tempos de Fluminense em terras paulistanas.

Alguns lampejos aqui e acolá aparecem: o meia foi o artilheiro da equipe na temporada de 2019, com 13 gols, e conseguiu dar quatro assistências no Brasileirão no mesmo ano. Mesmo assim, juntando suas três temporadas - até aqui - no clube, onde marcou 18 tentos e deu sete passes para gol, elas elas não chegam perto de seu melhor momento no Tricolor.

No ano de 2016, Scarpa, jogando de meia-atacante com a camisa do Fluminense, marcou 14 gols e deu 19 assistências. Foi por esse futebol que o jovem chegou a seleção brasileira e atraiu interesse europeu, na época. Garantido no Palmeiras após ser especulado no Almería-ESP, no começo do ano, tentará impressionar Vanderlei Luxemburgo para ter mais minutos.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Nesta temporada, até o momento, o meia tem apenas três partidas, com um gol. Não só isso: Luxa parece preferir dar oportunidades para atletas como Zé Rafael e Lucas Lima do que colocar o meia.

Mas talvez seu principal concorrente neste momento seja ainda mais duro de ser batido: o craque Dudu, inquestionavelmente o principal jogador do Palmeiras nos últimos anos, será utilizado por Luxemburgo na posição, como o técnico já adiantou. 

Contra a Inter de Limeira, no último jogo do Verdão antes da paralisação, este foi o caso: ao invés de aproveitar Scarpa, que ficou os 90 minutos no banco de reservas, o treinador preferiu colocar Willian pela direita, Rony na esquerda e Dudu no meio, em uma espécie de 4-2-3-1. Quando precisou ser mais ofensivo, já que o resultado não vinha, escolheu trocar a dupla de volantes - e Luiz Adriano - por Lucas Lima, Zé Rafael e o jovem Patrick de Paula.

O futebol está lá, o espaço, também: a volta do jogador aos seus melhores momentos traria uma excelente "dor de cabeça" a Luxemburgo. O contrato de Gustavo Scarpa com o Palmeiras vai até 2022 e, em um momento onde o clube parece cada mais vez propenso a aproveitar suas joias da base, um dos atletas com maior salário do elenco tem que, para a falta de uma palavra melhor, "acordar para a vida."

Caso contrário, a equipe paulista pode muito bem colocar no mercado um de seus maiores investimentos dos últimos tempos.

Leia também