Guedes diz que vai apanhar e mostra que Palmeiras precisa controlar os nervos

Verdão tem 25% dos direitos econômicos do atacante que interessa a Atalanta; Paulo Nobre tem direito a receber R$ 2,5 milhões

Uma das maiores dificuldades do Palmeiras no jogo desta quarta-feira (26) não será técnica. O time precisa controlar os nervos e as emoções na partida contra o Peñarol, fora de casa, às 21h45 (de Brasília). Assim como aconteceu na partida de ida, em São Paulo, o Verdão já vai para o jogo esperando que o clima fique quente dentro de campo.

Foi o que afirmou o atacante Róger Guedes, nesta terça (24): "querendo ou não, sabemos que vamos apanhar bastante. É jogo de Libertadores. Nós também vamos chegar firme nas jogadas". Ele falou em tom de brincadeira, mas na prática isso reflete o que o Palmeiras espera do jogo.


Basta ver que, na primeira partida, o Palmeiras se perdeu em campo por cair nas provocações e ceras do Peñarol. A polêmica frase de Felipe Melo, que ameaçou "dar tapa na cara de uruguaio" se fosse necessário, parece ter contagiado o elenco, que se preocupou demais com as provocações e não jogou tudo que podia no 1º tempo, a ponto de perder parcialmente por 1 a 0.

Quando esfriou a cabeça no intervalo, o Palmeiras conseguiu a virada. Mesmo assim o time ainda ficou com um jogador a menos, Dudu, por reclamação contra o juiz. A vitória por 3 a 2 só foi conquistada no último lance do jogo.

Se quiser evitar esse sufoco, o Palmeiras precisa colocar a cabeça no lugar. Os jogadores têm que pensar mais em jogar bola do que em "chegar firme". Se conseguir isso, o Verdão terá grandes chances de vencer e poderá até garantir a classificação antecipada para as oitavas de final da Copa Libertadores.