Guardiola afirma que deseja treinar uma seleção e brinca sobre Ronaldo e Romário: 'Contrataria ambos'

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·2 minuto de leitura
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Guardiola durante jogo do Manchester City no Campeonato Inglês (Foto: Michael Regan/Getty Images)
Guardiola durante jogo do Manchester City no Campeonato Inglês (Foto: Michael Regan/Getty Images)

Com contrato renovado até junho de 2023 no Manchester City, o técnico Pep Guardiola já decidiu qual será seu próximo desafio. Durante um evento da "XP Investimentos", o catalão afirmou que deseja comandar uma seleção quando deixar o clube inglês.

- Uma seleção, sim. Próximo passo será uma seleção, sim, se há uma possibilidade. Uma seleção é um próximo passo. Devo ter um descanso depois de sete anos (do Manchester City), preciso parar para ver, aprender com outros treinadores, e talvez tome esse caminho. Gostaria de treinar em uma Eurocopa, uma Copa América, uma Copa do Mundo - afirmou Guardiola.

Leia também:

Questionado se a Seleção Brasileira era uma possibilidade, Guardiola afirmou que seria difícil, por conta da cultura de valorizar treinadores nacionais, mas elogiou a equipe de Tite.

- É uma equipe fantástica (a de hoje com Tite). Alguns jogadores já trabalhei junto, outros foram adversários. É uma seleção fantástica. O Brasil sempre é forte candidato ou favorito, sempre foi e sempre será.

O futebol brasileiro também voltou a ser tema. Sem conseguir contratar Harry Kane, que seguirá no Tottenham, Pep foi perguntado sobre Romário e Ronaldo. E o catalão disse que contrataria ambos para o Manchester City. Em seguida, a indagação foi sobre qual o melhor brasileiro que ele viu no Barcelona.

- Veja, temos tanto dinheiro, que contrataríamos os dois - disse Guardiola, antes de completar:

- Não me faça essa pergunta (melhor brasileiro). É como escolher entre o pai e a mãe. Desses três (Romário, Ronaldo e Rivaldo), dentro da área, não vi ninguém como Romário. Para ganhar finais, Rivaldo. E jogador que resolvia em 30 metros, Ronaldo. Quando estava no Barcelona, não vi nada igual. E, como torcedor, vi Ronaldinho mudar o Barcelona, que estava um pouco depressivo. Não só com seu sorriso, mas o futebol. Depois se apagou um pouco. É difícil dizer o melhor, mas todos foram impressionantes. Foram muito grandes no Barcelona - afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos