Grupos se posicionam por reforma do estatuto do Vasco; maioria é contra

Roberto Monteiro, presidente do Conselho Deliberativo, Alexandre Campello, presidente do Vasco, e Edmilson Valentim, presidente do Fiscal (Foto: Paulo Fernandes / Vasco)
Roberto Monteiro, presidente do Conselho Deliberativo, Alexandre Campello, presidente do Vasco, e Edmilson Valentim, presidente do Fiscal (Foto: Paulo Fernandes / Vasco)


O Vasco votará, na noite desta quarta-feira, a reforma do estatuto do clube. Dentre as principais alterações, os itens com maior apelo são relacionados ao processo eleitoral. Alguns grupos, porém, já se manifestaram ao longo do dia para explicar o posicionamento que vão adotar na reunião do Conselho Deliberativo na Sede Náutica da Lagoa. A maioria deles será contra.

A votação, a princípio, promete ser equilibrada. Os grupos "Ao Vasco Tudo", "Desenvolve Vasco", "VascoMed", "Confraria", "Guardiões da Colina", "PetroVasco", "Avante Gigante", "Cruzada Vascaína", "Sempre Vasco" e "Fuzarca" se manifestaram pelas redes sociais e apenas o último se mostrou favorável. Cabe destacar que o ex-VP de Controladoria, Adriano Mendes, é do "Desenvolve Vasco", que será desfavorável ao novo texto.

Veja mais detalhes sobre os itens discutidos na reforma do estatuto. Para que as mudanças sejam confirmadas, o Conselho precisa que dois terços dos presentes aprovem a proposta. O quórum mínimo é de 151 conselheiros e a primeira chamada será às 20h.



Veja as notas divulgadas:

Ao Vasco Tudo



"Iremos conduzir voto na reunião de amanhã para reprovação de toda a proposta apresentada, não acreditamos na capacidade do atual conselho conduzir de maneira satisfatória tal mudança que torne mais atualizado e democrático nosso estatuto.
Dentre tantos pontos, destacamos alguns:

- Obrigatoriedade de indicação de novos beneméritos em caso de diminuição de 150 membros
Benemerência é título honorífico e não político, ha regras para tal honraria, atrelar indicação a composição do CD desqualifica os membros do poder.
O anseio é pela DIMINUIÇÃO dos beneméritos

- Posse do Conselho Fiscal apenas em 1° de maio.
O CF é para analisar contas do CLUBE e não de determinada gestão, prolongar o mandato aumenta a indicação politica para o órgão e pode ocasionar a participação de um conselheiro fiscal fora do CD, caso o mesmo não seja reeleito.

- Extinção da categoria SÓCIO GERAL.
Mesmo limitando o valor do proprietário atrelado ao salário mínimo, é necessário ter uma categoria com cunho popular, para atender uma demanda que temos e abraçar TODOS os vascaínos, sendo realmente o CLUBE DO POVO.

- Votação por cédulas impressas.
Colocar isso na letra do estatuto ocasiona uma limitação ao voto eletrônico e online, em um clube com mais de 70% do seu torcedor fora do Rio de Janeiro.
Precisamos estar prontos para a modernidade e não amarrados ao arcaico.

Reconhecemos bons pontos em responsabilização, dando maior capacidade de fiscalização e cobrança em caso de gestão temerária, mas a proposta não atinge o anseio do vascaíno, de um clube aberto e democrático.
Não moderniza.
Por isso a condução do voto para reprovação."

Desenvolve Vasco

"(...) Sabemos que o estatuto atual é antigo, conta com mais de 40 (quarenta anos) e está em total desconformidade com os anseios de uma associação moderna e vanguardista da maneira que o CLUB DE REGATAS VASCO DA GAMA sempre foi.

Mas não é pelo fato de existir uma necessidade urgente de se reformar o atual estatuto, que contribuiremos para que seja realizada e concluída qualquer reforma.

Assim como a mudança do sistema eleitoral para a escolha da diretoria administrativa, a reforma do estatuto devir ir ao encontro dos anseios da imensa maioria dos Vascaínos e, a nosso sentir, não é isso que ocorre com a proposta apresentada para análise e votação, que, apesar de avançar em alguns poucos pontos, traz inúmeras escolhas controvertidas, que representam inegável retrocesso.

Citaremos alguns pontos de maneira exemplificativa, para justificarmos nossa posição:

1- O aumento dos requisitos para participar da vida política do clube fecha o Vasco para sua torcida, que vem demonstrando um engajamento impressionante desde a última Assembleia Geral Ordinária ocorrida em novembro de 2017;
2- Sobrecarga de poderes na pessoa do Presidente do Conselho Deliberativo, que pode trazer como consequência um conflito permanente com os outros poderes;
3- Formalmente falando, a proposta inclui no estatuto normas que claramente não possuem natureza estatutária, inchando o corpo do estatuto e engessando a evolução do clube, uma vez que toda mudança estatutária precisa de quórum especial e aprovação pela Assembleia Geral;
4- Assembleia Geral esta que é claramente colocada em posição secundária, quando deveria ser exaltada como único poder que retrata a vontade fiel dos donos do clube, já que composta por esses donos, que são os sócios do CRVG;
5- A proposta prevê falta de pagamento como transgressão e consequente causa de punição do sócio inadimplente, mas silencia a respeito de punição para quem frauda eleição, situação evidentemente mais grave;
6- E, como último exemplo, ressaltamos a extinção da categoria Sócio Geral, a qual consideramos um erro gravíssimo, que junto com o aumento dos requisitos para aquisição de direitos políticos, coloca o clube virado de costas para seu maior patrimônio: A TORCIDA, que em última instância é a verdadeira razão de existir do CLUB DE REGATAS VASCO DA GAMA.

Assim, mantendo a coerência e de forma muito tranquila e ponderada, a DESENVOLVE VASCO manifesta apoio irrestrito à Eleição Direta para a Diretoria Administrativa e se posiciona CONTRA a proposta de reforma do estatuto, que ao nosso sentir é extemporânea e representa um retrocesso para o Vasco.

Finalizando, repetimos a conclusão de nossa nota do dia 04 de dezembro de 2019: “Apesar de todos os obstáculos, acreditamos que a política seja o único caminho possível para a construção de um VASCO mais moderno, transparente e democrático."

VascoMed

"A VascoMed informa aos sócios do Club de Regatas Vasco da Gama que, na reunião de hoje no Conselho Deliberativo, votará contra a Reforma do Estatuto.

Diretas, sim! Reforma, não!"

Confraria Vasco

"A Confraria hoje vai votar contra a proposta de novo estatuto.

É importante dizer que respeitamos o trabalho da comissão que propôs uma peça que traz avanços significativos apesar de não atacar todos os pontos necessários para a modernização do Vasco.

De qualquer forma entendemos que um Conselho Deliberativo em final de mandato e tão desconectado do desejo dos sócios e da administração não deveria deliberar tema tão relevante.

Esperamos que a base proposta pela comissão seja usada em um novo Conselho, legitimado pelos sócios e em consonância com um presidente eleito pelo voto direto, para enfim chegarmos à mudança e a profissionalização que o Vasco tanto demanda."

Fuzarca

"O posicionamento favorável à Reforma do estatuto do Vasco ocorre porque há avanços. Pode não ser o ideal e fomos vencidos em várias sugestões. A questão é que já é tão difícil conseguir um entendimento mínimo que votar contra por votar é apenas fechar portas."

Guardiões da Colina

"Na reunião de hoje, nosso até então conselheiro suplente, Ricardo Oliveira, assume como titular. Portanto iremos com 8 dos nossos 8 eleitos e votaremos contra a Reforma do Estatuto, por entender que apesar de avanços, as pautas negativas sobressaem."

PetroVasco

"A PetroVasco informa que votará contra a Reforma do Estatuto, na reunião de hoje (29/jan), dado que essa representa um retrocesso e uma ameaça ao clube. Reafirmamos o nosso compromisso com as eleições diretas e com o fortalecimento do CRVG."

Avante Gigante

"Os conselheiros do C. R. Vasco da Gama, que fazem parte do grupo Avante Gigante, confirmam o apoio total e irrestrito as modificações no Estatuto, no que tange, principalmente, a questão da eleição direta e a responsabilização e cobrança dos gestores em atos de gestão temerária.

Porém, alguns pontos dessa reforma não atingem os anseios de democracia e modernidade que tanto o Clube precisa, como por exemplo o aumento de tempo associativo para se tornar elegível e eleitor , o aumento dos requisitos para a candidatura à presidência e a extinção da categoria sócio geral. Esses são alguns exemplos de pontos importantes que somos contra.

Deste modo, o Avante Gigante apoia a ELEIÇÃO DIRETA, porém é contra a reforma, devido a não atingir os anseios do nosso verdadeiro patrimônio: a torcida."

Cruzada Vascaína

"Os conselheiros da Cruzada votarão CONTRA a Proposta de Reforma do Estatuto Social que será deliberada hoje à noite na Sede Náutica. Avaliamos que a maior parte dessa Proposta não proporcionará o dinamismo necessário para uma gestão moderna tão pouco tornará o processo eleitoral do Clube mais democrático. As Eleições Diretas já foram APROVADAS e tal evolução, apesar de insuficiente, basta diante do atual momento político. Acreditamos que na próxima gestão, com uma comissão de reforma politicamente mais plural e um Conselho Deliberativo menos conturbado, teremos melhores condições para discutir, deliberar e implementar uma reforma estatutária que represente um real avanço da nossa carta magna".

Sempre Vasco

"Atenta aos interesses do Vasco e diante da turbulência vivida pelo clube, a Sempre Vasco vota CONTRA a reforma estatutária proposta. A luta pela democratização continua, sendo as Eleições Diretas o primeiro passo para recolocar o clube nos trilhos de sua gloriosa história"






















































































Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também