Grupo Estratégico da F1 quer intervir para ajudar McLaren com os motores

O abismo entre os motores Honda em relação aos da Ferrari e Mercedes é tamanho que o Grupo Estratégico da Fórmula 1 planeja medidas para equiparar as unidades de potência dos fabricantes. Enfrentando novamente uma temporada difícil, a McLaren, cliente da Honda, não consegue fazer frente aos rivais e agora vive a expectativa de que a categoria possa oferecer alguma ajuda.

Visando uma maior competitividade entre as equipes, o que daria mais emoção às provas e, consequentemente, atrairia mais audiência, a Fórmula 1 juntamente com a Federação Internacional de Automobilismo (FIA) querem elaborar um plano para que a McLaren, enfim, possa ressurgir.

A FIA já havia assegurado que iria analisar o rendimento dos motores da F1 após as três primeiras corridas da atual temporada. Caso alguma das unidades de potência tivesse uma diferença maior que 0.3s para outra, o Grupo Estratégico deveria tomar alguma medida.

“É algo que temos de abordar. Estamos nessa posição e não estou certo de que todos querem que tenhamos mais potência, mas acho que seria mais justo para a Fórmula 1 ter forças mais niveladas. Não estou dizendo que seria ua ajuda para bater a melhor unidade de potência, mas para estar dentro da janela de 0.3s”, disse o diretor esportivo da McLaren Eric Boullier.

“Seria mais atrativo para outras fabricantes entrarem na F1 e para os fãs, já que teríamos mais ação nas pistas. Mas nós estamos em um mundo competitivo e sei que muita gente não quer que nós tenhamos um bom desempenho neste aspecto”, completou Boullier.