Grupo de Oposição do Corinthians pede impeachment de Andrés Sanchez na Justiça

Yahoo Esportes
Andrés Sanchez enfrenta pedido de impeachment na Justiça. Foto: Daniel Vorley/AGIF
Andrés Sanchez enfrenta pedido de impeachment na Justiça. Foto: Daniel Vorley/AGIF

O Grupo de oposição Frente Liberdade Corinthiana entrou na Justiça, solicitando o impeachment do presidente Andrés Sanchez. A ação foi protocolada pelo advogado Cristiano Medina, representando Conselheiros, Associados e Torcedores.

Leia também:

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Confira o texto do processo abaixo.

Frente Liberdade Corinthiana pede na Justiça o impeachment do

presidente do Corinthians, Andrés Sanchez

O pedido investe contra uma série de desmandos cometidos pelo atual presidente que vão

contra o que determina o estatuto do clube e a legislação em vigor.

A Frente Liberdade Corinthiana, grupo formado por Conselheiros, Associados e

Torcedores do Sport Club Corinthians Paulista, impetrou no Foro Regional do Tatuapé,

São Paulo, uma ação condenatória com pedido de concessão de liminar para o imediato

afastamento do atual presidente do Clube, Andrés Sanchez.

Os motivos que levaram a tal decisão têm como princípio uma série de desmandos que

vão completamente contra o estatuto do Clube. Além disso, de acordo com o advogado

Cristiano Medina, que representa a Frente Liberdade Corinthiana, o atual presidente do

Corinthians tem adotado atos de gestão temerária. “O grupo que compõe a Frente

Liberdade Corinthiana tem feito inúmeros pedidos de esclarecimentos em razão de

medidas tomadas pela atual presidência, que estão levando o Corinthians para uma

situação terrível do ponto de vista econômico, mas esses pedidos não estão sendo

atendidos por Andrés Sanchez. Só para dar um exemplo, no orçamento para 2019,

aprovado pelo Conselho Deliberativo, havia a previsão de um superávit de R$ 650 mil.

Entretanto, após uma análise junto às contas do clube, foi identificado um prejuízo de

aproximadamente R$ 177 milhões, o maior da história dessa Instituição centenária.”

Mas Medina assegura que a decisão pelo pedido de impeachment de Andres Sanchez

não se restringe a esse fato apenas. “O Corinthians tem sofrido com os desmandos de

um grupo que está no poder há mais de 12 anos.”

Esses são os principais pontos da ação movida pela Liberdade Corinthiana:

1 – De modo constante, há descumprimento das regras do estatuto, como mostra o

exemplo da aquisição de empréstimos bancários sem a prévia autorização do Conselho

de Orientação – CORI;

2 – Atrasos no pagamento de salários de funcionários e atletas; não pagamento de

contas de água, de luz e inadimplência junto a fornecedores;

3 – O não pagamento das parcelas de aquisição do jogador Bruno Méndez junto ao

Wanderers-URU, fato que pode acarretar sanções ao Corinthians junto à entidade maior

do futebol, a FIFA. Mesmo que tenha quitado a primeira das parcelas, conforme a

imprensa noticiou nos últimos dias, ainda há duas em atraso;

4 – Risco de perda de parte do Parque São Jorge em razão de dívidas junto à prefeitura

de São Paulo.

5 – Inadimplência junto à Caixa Econômica Federal das prestações do financiamento

referente à construção da Arena Corinthians;

6 – Em razão das mais diversas dívidas não quitadas, a marca Corinthians tem sido vítima

da administração irresponsável e omissa da atual presidência. A nome do Corinthians

aparece atrelado a um infindável número de notícias vexatórias, ocasionando

irreparável prejuízo a esse patrimônio do Clube, que é a sua marca.

Segundo Dr. Medina, o Corinthians fez empréstimos no montante de R$ 70 milhões

junto aos bancos BMG e Daycoval sem respeitar as normas do Clube. “O estatuto do

Corinthians afirma que empréstimos acima de 10 mil salários mínimos precisam da

autorização do Conselho de Orientação, mas essa determinação não foi observada pela

presidência.”

Em razão dos fatos acima enumerados, a Frente Liberdade Corinthiana decidiu ajuizar a

ação que visa o afastamento preliminar e a destituição de Andrés Navarro Sanchez da

presidência do Corinthians. “Estamos pedindo o afastamento imediato do dirigente

porque entendemos que ele não observou as regras legais e estatutárias. O estatuto do

Corinthians em seu artigo 106 é claro: ‘o presidente deverá ser destituído quando não

observar os mandamentos de seu estatuto’”, destaca Medina.

O advogado assegura ainda que no decorrer do processo conseguiram provar a ma fé

do dirigente. “Provamos que a atual presidência está realizando uma administração

temerária e prejudicial ao patrimônio e à imagem do Sport Club Corinthians Paulista. Ao

mesmo tempo, acreditamos na intervenção do Poder Judiciário para estabelecer a

ordem, a ética e a governança no Clube, que enfrenta a maior crise financeira de sua

história”, finaliza.

Se a liminar for concedida, Andrés será afastado imediatamente do comando do clube. Os advogados do clube podem recorrer.

Esse pedido de impeachment ocorre num ano de eleição e com as contas de 2019 ainda em processo de aprovação ou não. O déficit publicado no balanço foi de R$ 177 milhões.

Veja mais de Alexandre Praetzel no Yahoo Esportes

Siga o Yahoo Esportes no Instagram, Facebook e Twitter e aproveite para se logar e deixar aqui abaixo o seu comentário.

Leia também