Grosjean e Magnussen vão sair da Haas ao fim da temporada da F1

·1 minuto de leitura
Carro da equipe Haas, pilotado eplo francês Romain Grosjean no GP de Eifel, na Alemanha
Carro da equipe Haas, pilotado eplo francês Romain Grosjean no GP de Eifel, na Alemanha

A Haas anunciou nesta quinta-feira que o francês Romain Grosjean e o dinamarquês Kevin Magnussen não serão mais pilotos da equipe americana de Fórmula 1 no próximo ano. 

Os nomes dos substitutos ainda não foram revelados, mas rumores indicam que serão o russo Nikita Mazepin e o alemão Mick Schumacher, filho do heptacampeão Michael, ambos pilotos da F2.

Schumacher tem o apoio da Ferrari, que fornece motores para a Haas. 

"Tenho de agradecer a Romain e Kevin pelo seu trabalho árduo e compromisso com a Haas nas últimas temporadas", disse o chefe da equipe, Guenther Steiner.

"Temos muitas boas memórias juntos, em particular a nossa temporada de 2018, em que terminamos em quinto lugar na classificação de construtores apenas na nossa terceira temporada”, na F1. 

"Romain e Kevin desempenharam um papel importante neste sucesso", acrescentou. "Claro, ainda faltam muitas corridas em 2020. É um ano difícil (com apenas 3 pontos em 11 provas), isso é certo, mas os dois pilotos deram o máximo ao volante ", concluiu. 

Com poucos destinos a aspirar no próximo ano e a competição acirrada de pilotos mais experientes como o mexicano Sergio Pérez e o alemão Nico Hülkenberg, as opções para Grosjean, de 34 anos, e Magnussen, 28, permanecerem na principal categoria do automobilismo são mínimas. 

Grosjean tem 10 pódios em 10 temporadas na F1 (2009 e 2012-2020). Já o dinamarquês subiu ao pódio uma vez desde 2014.

pel/ole/iga/psr/lca