Gratidão ao pai e muito trabalho: Metinho realiza sonho de jogar no Fluminense e rege Sub-17 na decisão

Luiza Sá
·4 minuto de leitura


Quando se pensa sobre os destaques de uma equipe, é comum lembrar primeiro daqueles que marcam os gols. Na "Geração dos Sonhos" do Fluminense Sub-17, porém, é inevitável não pensar no volante Metinho. Capitão, ele é responsável por reger a equipe atual campeã brasileira e que agora enfrentará o São Paulo pelo jogo de volta da final da Copa do Brasil, nesta sexta-feira, às 17h30, no Estádio Luso Brasileiro. A ida terminou empatada por 0 a 0. Em entrevista ao LANCE!, o jovem de 17 anos valorizou os resultados anteriores, como o agregado de 9 a 1 contra o Flamengo na semifinal.

> Fluminense chega a 86 gols e 22 jogadores diferentes balançando a rede na temporada; veja a lista

- Nós, como equipe, partimos sempre de princípio que todos os jogos são de extrema importância. Os jogos que ganhamos em todas as fases permitiram que chegássemos nessa grande final. Trabalhamos muito para chegar aqui. O jogo do clássico nos ajudou a ver que estamos no caminho certo. Erramos em alguns aspectos e acertamos em vários. Nossa maior expetativa é ganhar essa final e sair coroado, porque com o trabalho se chega longe - analisou.

Nascido no Congo, Metinho Silu deixou o país com apenas um ano de idade com o pai, Abel, para fugir das dificuldades e da perseguição religiosa. No Brasil, se instalou na favela Cinco Bocas, em Brás de Pina. Fã da Seleção Brasileira, Abel sempre sonhou em ver os filhos serem jogadores. No Fluminense há sete anos, o volante chegou a receber uma proposta do Vasco, mas o grande sonho era vestir a camisa tricolor.

- Quando eu era mais novo treinava na categoria de base de Madureira, no futsal, e vinha me destacando muito. Chegaram propostas de vários times inclusive do Vasco. Cheguei a preencher a ficha de inscrição, mas pedi para o meu pai não entregar porque estava esperando uma proposta do meu time de coração, que é o Fluminense. Esse sonho só se concretizou porque houve uma partida entre o Madureira e o Fluminense, quando marquei três gols e fui um dos destaques do jogo. Depois recebi um convite da diretoria e da equipe para ingressar no fluminense, e graças a Deus sou um Moleque de Xerém - celebrou.

VEJA E SIMULE A TABELA DO BRASILEIRÃO

Além do título do Brasileirão e da possibilidade de conquistar a Copa do Brasil, Metinho teve a oportunidade de vestir a camisa da Seleção Brasileira pela primeira vez. Ele foi, ao lado de Luiz Henrique, chamado para completar os treinos do grupo de Tite na Granja Comary. E a atenção da comissão não veio do nada: o jogador é um dos destaques e capitão da equipe do técnico Guilherme Torres. Ele se destaca principalmente pela boa leitura de jogo e precisão nos passes, é o cérebro do time.

- Está sendo um momento incrível tanto para mim quanto para a minha família. Isso tudo foi graças ao esforço e dedicação que o meu pai teve desde o tempo que eu era pequeno. Ele deixava de fazer as coisas dele para se dedicar ao meu sonho de me tornar um jogador de futebol. Todos os dias que entro em campo dou meu máximo porque passamos por vários momentos ruins. Isso tudo serviu como lição para me manter firme e forte nos meus objetivos e irei levar para vida toda - disse o jovem.

Metinho - Fluminense Sub-17
Metinho - Fluminense Sub-17

Metinho, durante jogo do Sub-17 (Foto: Mailson Santana/Fluminense FC)

O destaque na base renderá a acensão ao time profissional em 2021. Metinho se juntará a Kayky e Matheus Martins no grupo que atualmente é comandado pelo técnico Marcão. A medida visa valorizar o talento do jogador e, ao mesmo tempo, colocá-lo ainda mais em evidência no momento em que já está sendo sondado por clubes da Europa. Aos 17 anos, o volante tem contrato até 30 de dezembro de 2022 e já teve uma renovação oferecida pela diretoria. O Portal da Transparência do Tricolor não diz qual a porcentagem do clube em cima do atleta.

- A gente vem trabalhando nesse sentido. Tudo isso que vem acontecendo é graças à dedicação tanto da minha parte como de toda equipe técnica do time. Com o trabalho se chega longe. Tecnicamente a gente trabalha pensando em progredir todos os dias, então devemos estar preparados para qualquer desafio que aparecer nas nossas vidas. Todos os jogadores desde pequeno têm expetativa de um dia atuar no time principal. Quando chegar esse momento darei o meu máximo, como faço sempre, e será mais um sonho realizado para mim e minha família - completou.