Granado aprova pistas de calendário da MotoE: “Ótimas escolhas”

motorsport.com

A organização do Mundial de MotoE divulgou nesta quinta-feira (11) o calendário de 2020 após os adiamentos causados pela pandemia do coronavírus. A temporada terá início no próximo dia 19 de julho, com uma prova na pista espanhola de Jerez, encerrando-se em 11 de outubro no traçado francês de Le Mans.

Esta pode ser uma temporada especial para os fãs brasileiros da motovelocidade. O paulista Eric Granado, de 24 anos, é um dos principais nomes da categoria, podendo conquistar o título mundial para o país.

Leia também:

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

MotoE anuncia calendário 2020 com sete provas em três circuitosPodcast #029 – Eric Granado: "Fui criticado por ter optado pela MotoE"

Com a campanha de 2020, Granado busca seu 13º título de campeão na carreira, sendo o piloto brasileiro com mais títulos internacionais na história da motovelocidade, com vitória em cinco campeonatos.

Ao todo, e em função da situação atual da pandemia na Europa, as etapas serão disputadas em apenas três traçados: Jerez, Le Mans e Misano, que receberá três provas. As demais pistas realizarão dois GPs cada uma.

“Pessoalmente, acho que todos nós que estamos envolvidos com o campeonato temos que ficar muito felizes quando voltarmos às atividades”, disse Granado. “Muita gente está impedida de trabalhar e isso neste momento é um privilégio, especialmente se pensarmos no mundo esportivo.”

“Sobre as pistas escolhidas, vários fatores influenciaram, mas o principal certamente foram as condições sanitárias locais. E juntando isso à qualidade desses traçados, acho que são ótimas escolhas. Teremos um bom campeonato”, comentou.

Granado também avaliou seu potencial e o da equipe em cada circuito de 2020.

“Fizemos os testes oficiais este ano em Jerez e fomos muito bem. No ano passado, nós estávamos muito rápidos em Misano, que é também uma pista que gosto, me adapto bem ao desenho daquele traçado. A MotoE nunca correu em Le Mans, então todos terão que desenvolver um acerto totalmente novo para aquele traçado, mas é outra pista que me agrada e acho que a equipe vai se dar bem lá também.”

Como todos os atletas de alto rendimento, Granado diz se ressentir pela ausência das competições.

“Quebra o ritmo, mas é igual para todo mundo”, ponderou. “Dentro do que dá para fazer, tenho me dedicado bastante. É bom termos ainda um mês pela frente, porque assim os pilotos conseguem direcionar melhor o condicionamento individual para cada etapa.”

“Mas assim que reabrirem as fronteiras já irei para a Europa, onde vou trabalhar melhor a preparação estando perto da equipe e do meu preparador, que é especialista no esporte. Espero que no começo de julho já esteja lá e aí vou fazer uma pequena pré-temporada, se podemos chamar assim. Me exercito em casa todos os dias e faço todo um trabalho para manter o foco na competição da melhor maneira possível. Uma diferença lá na Europa é que poderei andar de moto, coisa que é difícil agora aqui no Brasil.”

No dia 15 de julho, já na semana da primeira corrida, as equipes poderão fazer um teste oficial.

“Também será em Jerez. Vai ajudar a recuperar um pouco mais do ritmo e botar em dia a adaptação com a moto. Será uma experiência curta, mas importante”, explicou o brasileiro da equipe Avintia.

Live de Reginaldo Leme: histórias com Fittipaldi, Piquet, Senna e George Harrison

PODCAST: A liderança de Hamilton pode transformá-lo em uma influência maior que Senna fora da F1?

Your browser does not support the audio element.

Leia também