Salzburg devolve placar, mas Olympique marca na prorrogação e está na final

EFE

Salzburgo (Áustria), 3 mai (EFE).- O Olympique de Marselha se classificou para a final da Liga Europa, quebrando um jejum de 14 anos, mesmo perdendo para o Red Bull Salzburg por 2 a 1 nesta quinta-feira na Áustria, graças a um gol marcado pelo português Rolando na prorrogação.

Derrotado por 2 a 0 no Velodrome há uma semana, o Salzburg fez valer sua força jogando na Red Bull Arena, onde não perde desde de novembro de 2016, e devolveu o placar durante os 90 minutos. No tempo extra, porém, a equipe visitante foi às redes e se garantiu na decisão do próximo dia 16, no Stade de Lumières, em Lyon, onde enfrentará o Atlético de Madrid, que também hoje eliminou o Arsenal.

Será a primeira final continental do Olympique desde 2004, ano em que foi o vice-campeão da Copa da Uefa, precursora da Liga Europa, com uma derrota para o Valencia. Antes disso, em 1993, faturou o título da Liga dos Campeões batendo o Milan.

A partida na cidade de Salzburgo, onde os donos da casa agora acumulam 39 partidas de invencibilidade, com 30 vitórias e nove empates, teve dois brasileiros em campo, um em cada lado. O Salzburg contou com o zagueiro André Ramalho, ex-jogador de São Paulo e Palmeiras, enquanto pelos visitantes o volante Luiz Gustavo, que disputou a última Copa do Mundo, atuou improvisado na defesa.

O Olympique não se limitou a defender e jogou de igual para igual no começo, mas o duelo foi amarrado, com poucas chances claras no primeiro tempo. A melhor delas, ocorrida 13 minutos da etapa inicial, favoreceu o Salzburg. Rami vacilou na defesa, Dabbur aproveitou e ganhou terreno, mas o goleiro Pelé saiu bem e limpou a barra de seu companheiro de equipe.

O time francês respondeu aos 17, com Sanson. Thauvin tentou o chute e foi bloqueado por Samassekou, mas o rebote ficou com a equipe de Marselha, que trabalhou a bola até uma finalização de primeira de Sanson que foi defendida por Walke.

A etapa final começou com uma grande chance do Olympique, que praticamente liquidaria a eliminatória, já que o adversário passaria a precisar de quatro gols. Logo com um minuto, Germain escapou pela direita e mandou para a área. Ocampos dominou na outra ponta, levou para o meio e bateu rente à trave.

Porém, quem abriu o placar foi o Salzburg, em linda jogada de Haidara, aos oito. O meio-campista recebeu na meia esquerda, fez fila na defesa dos visitantes, invadiu a área e deu um toquinho rasteiro na saída do goleiro para fazer 1 a 0.

Com o gol sofrido, o vencedor da Liga dos Campeões de 1993 recuou e acabou sendo castigado com o segundo. Aos 20 minutos, Haidara cruzou rasteiro da direita para dois companheiros em condição duvidosa. O impedimento não foi marcado, Rami tentou afastar, mas entregou para Schlager, que chutou em contou com desvio em Sarr para mandar para a rede. A arbitragem anotou gol contra.

Só quando a água começou a bater na altura do peito que o Olympique acordou. Aos 28, Payet levantou na medida, Thauvin, que não vinha tendo muitas chances, cabeceou e acertou a trave. Mais tarde, na última tentativa de evitar a prorrogação, aos 45, o próprio Thauvin puxou contra-ataque, Payet cruzou e N'jie estava pronto para concluir, mas foi travado.

Quem esteve mais perto do gol na primeira etapa do tempo extra foi o Salzburg. Aos nove minutos, Berisha levantou, Caleta-Car apareceu livre entre os defensores e cabeceou firme, mas Pelé fez linda defesa.

Após a virada de lado, aos dez minutos, veio o gol que classificou a equipe francesa. Payet bateu escanteio da direita e Rolando, que havia entrado no começo da prorrogação, finalizou de maneira estranha, com o pé direito e sem muita força, mas foi suficiente para acertar o cantinho direito e diminuir, levando seu time à final.


Ficha técnica:.

Red Bull Salzburg: Walke; Lainer, André Ramalho, Caleta-Car e Ulmer (Pongracic); Samassekou, Haidara, Berisha e Schlager (Minamino); Gulbrandsen (Hwang) e Dabbur. Técnico: Marco Rose.

Olympique de Marselha: Pelé; Sarr, Rami, Luiz Gustavo e Amavi; Lopez (Anguissa) e Sanson (Rolando); Thauvin, Payet e Ocampos; Germain (N'jie). Técnico: Rudi Garcia.

Árbitro: Serguei Karasev (Rússia), auxiliado pelos compatriotas Anton Averianov e Tikhon Kalugin.

Cartões amarelos: Haidara, André Ramalho, Caleta-Car e Dabbur (Red Bull Salzburg); Sarr, Lopez, Rami, Germain, Payet, Amavi, Rolando e Pelé (Olympique de Marselha).

Cartão vermelho: Haidara (Red Bull Salzburg)

Gols: Haidara e Sarr (contra) (Red Bull Salzburg); Rolando (Olympique de Marselha).

Estádio: Red Bull Arena, em Salzburgo (Áustria). EFE


Leia também