Grêmio tem duelos contra equatorianos em duas de suas três conquistas de Libertadores - veja o histórico

Fabio Utz
·1 minuto de leitura

Tricampeão da Libertadores, o Grêmio tem a partir desta quarta-feira a missão de, mais uma vez, selar a classificação para a fase de grupos da competição. Para tanto, precisa superar o Independiente del Valle, do Equador.

Tricolor eliminou o Barcelona na semifinal de 2017 | Lucas Uebel/Getty Images
Tricolor eliminou o Barcelona na semifinal de 2017 | Lucas Uebel/Getty Images

Em duas de suas três trajetórias vitoriosas no torneio sul-americano, o Tricolor gaúcho cruzou com equatorianos. Por isso, é hora de relembrar como foram estes confrontos. O saldo é amplamente favorável aos gaúchos.

1. Libertadores de 1995 - Fase de grupos

Grêmio com Scolari foi campeão em 95. | Lucas Uebel/Getty Images
Grêmio com Scolari foi campeão em 95. | Lucas Uebel/Getty Images

No Grupo 4 da competição, cruzou com dos equatorianos. Frente ao Emelec, empatou em 2 a 2 fora de casa e aplicou 4 a 1 no Olímpico. Contra o El Nacional, obteve duas vitórias: 2 a 1 em Quito e 2 a 0 em Porto Alegre.

2. Libertadores de 1995 - Semifinal

Paulo Nunes e Jardel foram expoentes daquele Grêmio campeão de 1995. | YOSHIKAZU TSUNO/Getty Images
Paulo Nunes e Jardel foram expoentes daquele Grêmio campeão de 1995. | YOSHIKAZU TSUNO/Getty Images

O Emelec apareceu mais uma vez no caminho azul. E não foi páreo para Paulo Nunes, Jardel e companhia. Após empate em 0 a 0 em Guayaquil, o Grêmio definiu sua passagem para a decisão aplicando 2 a 0 na capital gaúcha.

3. Libertadores de 2017 - Semifinal

Imortal foi campeão tendo equatorianos mais uma vez pelo caminho. | AFP Contributor/Getty Images
Imortal foi campeão tendo equatorianos mais uma vez pelo caminho. | AFP Contributor/Getty Images

Há quatro anos, o adversário foi o Barcelona. E a classificação ficou praticamente encaminhada na partida de ida, quando o Tricolor foi a Guayaquil e fez 3 a 0 - neste jogo, Marcelo Grohe entrou para a história com uma defesa de outro mundo. Na volta, nem a derrota por 1 a 0, na Arena, estragou a festa.