Grávida, Alex Morgan quer disputar os Jogos de Tóquio: "ter uma carreira e família, como outras antes de mim"

Artilheira dos Estados Unidos na última Copa do Mundo espera sua primeira filha para abril, três meses antes das Olimpíadas
Artilheira dos Estados Unidos na última Copa do Mundo espera sua primeira filha para abril, três meses antes das Olimpíadas

O jogadora estadunidense Alex Morgan está esperando sua primeira filha. A previsão do nascimento da criança é para abril, apenas três meses antes do início da Olimpíada de 2020, que será disputada em Tóquio. Em entrevista ao USA Today, a campeã das duas últimas edições da Copa do Mundo falou que mesmo com o pouco tempo hábil, ela pretende defender a seleção nos Jogos Olímpicos.

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM

"Eu espero voltar a jogar o quanto antes. Depois de ter um bebê saudável, eu quero voltar à seleção e estou ansiosa para jogar em Tóquio", falou Morgan.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também:

A craque e artilheira da última Copa do Mundo, toma como exemplos outras mulheres que passaram pela gravidez e conseguiram voltar a atuar no mais alto nível.

"Há muitas mulheres que conseguiram voltar ao seus respectivos esportes depois da gravidez e têm uma família boa enquanto participam dos esportes que elas amam no nível mais alto. Eu pretendo seguir os passos delas e ser uma dessas mulheres com família e que carregam suas filhas por onde vão. E eu ainda quero continuar a desfrutar o esporte que eu jogo por toda minha vida", disse a atacante.

Mães e jogadoras

Um dos exemplos de mulheres que tiveram filhos e voltaram a atuar no mais alto nível pode ser encontrado aqui no Brasil. A jogadora Tamires, lateral-esquerda da seleção brasileira e do Corinthians. Aos 31 anos, a atleta teve Bernardo quando tinha 21 anos, em uma gravidez não planejada, conforme a própria lateral revelou na Globo. Depois de passar quatro temporadas no futebol dinamarquês, Tamires voltou ao Brasil para ser um dos pilares do Corinthians, comandando por Arthur Elias, que conquistou a Copa Libertadores Feminina em 2019.

Na Copa do Mundo de 2019, a sul-coreana Hwang Boram também foi outro exemplo de como foi possível se recuperar e conciliar a maternidade e o esporte. Ela ficou um ano e meio parada após ter filho e voltou a atuar apenas em dezembro de 2018. Pouco tempo depois ela foi convocada para a seleção e conseguir realizar o sonho de jogar um Mundial.

Siga o Yahoo Esportes

Twitter |Flipboard |Facebook |Spotify |iTunes |Playerhunter

Leia também