GP do Japão de Fórmula 1 é cancelado pelo segundo ano consecutivo

·3 minuto de leitura
A decisão foi anunciada após os cancelamentos dos GPs da Austrália, China, Canadá e Singapura

O Grande Prêmio de Fórmula 1 do Japão, que aconteceria em outubro, foi cancelado pelo segundo ano consecutivo devido à situação sanitária no país, anunciaram os organizadores.

"Após discussões com as autoridades do Japão, a decisão do governo japonês foi cancelar a corrida devido às dificuldades vinculadas à pandemia", explicou em um comunicado a empresa americana Formula One, que organiza o Mundial da categoria.

A Formula One prepara agora um "calendário revisado" da temporada e "anunciará os detalhes finais nas próximas semanas", acrescentou a empresa.

"Podemos adaptar e encontrar soluções de acordo com as circunstâncias", segundo o texto.

A pandemia, que obrigou o cancelamento ou adiamento da maioria dos eventos esportivos internacionais em 2020, também forçou o cancelamento dos GPs de Fórmula 1 da atual temporada inicialmente previstos para Austrália, Canadá, China e Singapura.

O Grande Prêmio do Japão de MotoGP, que também ocorreria em outubro, foi cancelado no final de junho pelas mesmas razões.

- Duro golpe para Honda -

O circuito de Suzuka, que tem a particularidade de ter o formato de um oito e uma ponte sobre a pista, já recebeu 31 GPs de Fórmula 1 desde 1987. É uma das pistas emblemáticas do Campeonato Mundial de F1.

Em abril, promotores japoneses e autoridades da F1 anunciaram que a corrida permaneceria neste circuito até pelo menos 2024.

A informação é um golpe para a montadora japonesa Honda, que deixará a Fórmula 1 no final desta temporada. Seus motores são utilizados atualmente pelas equipes Red Bull e Alpha Tauri.

O piloto holandês Max Verstappen, da Red Bull, está atualmente em segundo na classificação de pilotos (187 pontos), atrás do britânico Lewis Hamilton (195), enquanto sua equipe está logo atrás da Mercedes na classificação de construtores.

A Honda também é, por meio de uma subsidiária, dona do circuito de Suzuka, que desde 2009 sediou o GP do Japão de F1 sem interrupção.

"É uma pena que pelo segundo ano consecutivo não seja possível organizar o GP do Japão em Suzuka", lamentou a fabricante japonesa através de um comunicado.

"Estamos especialmente desapontados porque este é o nosso último ano na Fórmula 1 e sabemos que muitos fãs estavam ansiosos por este evento", acrescentou.

- 23 Grandes Prêmios -

O Japão acaba de organizar os Jogos Olímpicos, realizados sem a presença de púbico, e se prepara para receber, em idênticas condições, os Jogos Paralímpicos, que começam no dia 24 de agosto.

O país enfrentou sua pior onda de coronavírus desde o final de junho, principalmente devido ao efeito da variante Delta.

Em meados de julho, foi decretado estado de emergência em parte do país, incluindo Tóquio, pela quarta vez desde o início da pandemia.

O calendário da F1 deste ano é composto por 23 Grandes Prêmios, 12 dos quais já foram disputados.

O próximo será o GP da Bélgica, no dia 29 de agosto, e depois o da Holanda, com limitação de público em Zandvoort, e o GP da Itália, em Monza.

Para reduzir o impacto do cancelamento de várias corridas tradicionais do calendário, um Grande Prêmio está planejado pela primeira vez na Arábia Saudita em dezembro.

Também haverá um GP nos dias 19 e 21 de novembro, mas ainda não foi anunciado oficialmente onde será realizado.

bur-mac-jld/jr/dlo/bl-gh/djm/lca

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos