Governo de SP prorroga suspensão do futebol e confirma temor de dirigentes

JOÃO GABRIEL E ALEX SABINO
·1 minuto de leitura

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A prorrogação da fase emergencial da quarentena em São Paulo confirma o temor de dirigentes de clubes e da Federação Paulista de Futebol (FPF). O governo de São Paulo confirmou à reportagem, por meio de sua assessoria de imprensa, que a proibição da realização de partidas de futebol, bem como de outras competições esportivas no estado, segue valendo até o dia 11 de abril. Desde que o governador João Doria (PSDB) anunciou novas restrições no estado e suspendeu as competições esportivas por 15 dias, na primeira metade de março, os cartolas do futebol tentaram por diversos caminhos manter o Campeonato Paulista intacto, mas não conseguiram. O temor era exatamente que a proibição fosse maior que a quinzena inicial, o que acarretará prejuízos financeiros não só pela não exibição das partidas na televisão, mas também pela possibilidade de que o fim do Campeonato Paulista seja adiado. A federação aguarda ser comunicada para se pronunciar. O anúncio desta sexta-feira (26) foi feito pelo vice-governador, Rodrigo Garcia, que não citou nominalmente o esporte. "Em virtude dos números da pandemia e da insistência do crescimento da pandemia, apesar de todas as medidas adotadas, o governo de São Paulo prorroga até o dia 11 de abril a fase emergencial", afirmou ele no Palácio dos Bandeirantes. O período de prorrogação, entre os dias 31 de março e 11 de abril, compreende mais três rodadas do Paulista pela programação inicial da federação.