Governo do Rio renova permissão provisória de uso do Maracanã para Flamengo e Fluminense

Maracanã vai continuar sob a gestão da dupla Flamengo e Fluminense (Foto: Armando Paiva/LANCEPRESS!)


A dupla Flamengo e Fluminense continuará a ter permissão de uso do Maracanã. Como o processo licitatório do Maracanã foi suspenso, o Governo do Rio de Janeiro comunicou a extensão de vínculo. O contrato, assinado no dia 11 de novembro, vale por seis meses contados a partir do dia 28 de outubro. As informações são de "O Globo".

O Governo do estado afirmou que a decisão é fundamental para preservar o Maracanã, sua valorização imobiliária e conservação. Até o momento, o TCE não deu aval para uma concessão permanente.

O Flamengo segue como permissionário. Já o Fluminense continua como interveniente anuente, mesmo depois de ter conseguido certidões negativas de débito que permitem que ele assine contratos públicos.

Em outubro, o Vasco sinalizou que poderia assumir temporariamente a gestão do Complexo Maracanã. Porém, o Governo não se manifestou.

Um ofício foi encaminhado à Secretaria de Estado de Casa Civil, que responde pela concessão do Estádio e do Maracanãzinho. Porém, não houve retorno ao Clube da Colina.

O Vasco selou parcerias com as empresas WTorre e Legends, que gerenciam estádios de clubes europeus, como o Santiago Bernabéu, e equipes de ligas americanas, como NBA, NHL e NFL.

O Governo também esperava que uma empresa de Brasília participasse da negociação.

Até o momento, não há previsão para o processo de concessão definitiva por 20 anos do Complexo Maracanã ser retomado.

Em sua decisão, o conselheiro do TCE Márcio Pacheco afirmou que há irregularidades nas documentações do processo de licitação que envolvem o Estádio do Maracanã e o Ginásio do Maracanãzinho.

De acordo com Pacheco, não houve estudo de viabilidade econômico-financeira para definição do valor de outorga.

Ainda no dia 11, a Secretaria de Estado de Casa Civil, responsável pela concessão do Complexo Maracanã, enviou um ofício ao TCE falando sobre a suspensão do edital de licitação. O documento, no entanto, segue sob sigilo.