Governo prepara nova MP de R$5 bi para coronavírus incluindo recursos recuperados de corrupção

Yahoo Notícias
(AP Photo/Andre Borges)
(AP Photo/Andre Borges)

O governo do presidente Jair Bolsonaro prepara nova Medida Provisória (MP) de 5,02 bilhões de reais para o combate ao coronavírus, indicando que o total previsto para o Ministério da Saúde, de 1,6 bilhão de reais, terá como fonte recursos recuperados com acordos anticorrupção no ano passado.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

As informações constam em minuta da medida à qual a Reuters teve acesso.

Leia também

Em 13 de março, o governo já havia enviado ao Congresso uma MP de 5,1 bilhões de reais em créditos extraordinários para o combate ao coronavírus, mas contemplando apenas os ministérios da Educação e Saúde.

Desta vez, o valor de 5,02 bilhões de reais é em crédito extraordinário para os ministérios da Ciência, Relações Exteriores, Defesa, Cidadania e Saúde.

A maior parte dos recursos será direcionada para o Ministério da Cidadania, num total de 3,04 bilhões de reais, para ampliação do número de beneficiários do Bolsa Família.

O montante de 1,6 bilhão de reais é previsto para o Ministério da Saúde para compra de equipamentos para UTIs, como ventiladores pulmonares. Apenas para a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), são 385,4 milhões de reais. A ideia, nesse caso, é que a fundação disponibilize testes moleculares e testes rápidos para operacionalização de centrais analíticas para diagnóstico do Covid-19.

Ao Ministério da Defesa caberão 220 milhões de reais, a serem empregados para apoio das Forças Armadas no enfrentamento da doença.

Ministério da Ciência e das Relações Exteriores receberão, respectivamente, 100 milhões e 62 milhões de reais. No primeiro caso, os recursos alimentarão o Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico.

No Itamaraty, serão utilizados para assistência a brasileiros retidos no exterior e para cooperação humanitária aos países de menor desenvolvimento com sistemas de saúde deficientes.

Desde a última semana, a equipe econômica tem anunciado medidas para fazer frente aos desafios impostos pela disseminação do coronavírus, tanto em termos de saúde pública quanto em termos de impacto econômico, em meio à avaliação de especialistas mundo afora que o enfrentamento à crise demandará recursos vultosos para atenuar a paralisação que tem sido adotada para frear a contaminação da população.

Na véspera, o governo anunciou um pacote de 88,2 bilhões de reais para ajuda a Estados, incluindo suspensão do pagamento de dívidas junto à União e bancos públicos.

Já o secretário especial de Previdência e Trabalho, Bruno Bianco, prometeu para breve uma MP prevendo a possibilidade de suspensão do contrato do trabalho que trará, no mesmo texto, ajuda do Estado aos trabalhadores.

Antes, o governo havia proposto ao Congresso apenas a possibilidade de suspensão do contrato por até 4 meses, sem pagamento de salário, o que suscitou críticas ferrenhas de políticos e fez o presidente Jair Bolsonaro determinar a revogação deste artigo em particular.

Por Marcela Ayres, da REUTERS

Leia também