Governo estuda prorrogar auxílio emergencial até março de 2021, mas com menor valor

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura
Brazil's Economy minister Paulo Guedes arrives to attend the launching ceremony of a campaign to support rural women at Palace in Brasilia, Brazil, on Wednesday, July 29, 2020. (Photo by Andre Borges/NurPhoto via Getty Images)

O auxílio emergencial pago a brasileiros afetados pela pandemia de coronavírus, poderá ser prolongado até março de 2021, defende a ala política do governo.

Segundo reportagem do portal UOL, a extensão do pagamento enfrenta resistência dentro do Ministério da Economia e precisa ser votada pelo Congresso.

Em uma hipotética continuidade do benefício, as parcelas pagas pelo governo seriam reduzidas de R$ 600 para um valor entre R$ 200 e R$ 300.

Leia também:

Para prorrogar o auxílio emergencial, o decreto de calamidade precisa ser renovado. A norma vence em dezembro e deve passar pela Câmara dos Deputados e pelo Senado Federal.

Em junho, o auxílio emergencial, distribuído a trabalhadores informais, autônomos, desempregados e beneficiários do Bolsa Família, já havia sido estendido por mais dois meses.

A última parcela será paga em agosto, porém o governo teme que o fim do benefício pode prejudicar a popularidade de Bolsonaro.

O prolongamento do auxílio também compensaria um eventual atraso na implantação do Renda Brasil, programa social que substituirá o Bolsa Família.