Governo do DF desmonta acampamento de Sara Winter em apoio a Bolsonaro

Sara Winter, líder do grupo "300 do Brasil" e apoiadora do presidente Jair Bolsonaro
Sara Winter, líder do grupo "300 do Brasil" e apoiadora do presidente Jair Bolsonaro

O governo do Distrito Federal, em operação coordenada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP/DF) e pelo DF Legal, desmontou na manhã deste sábado (13) o acampamento “300 do Brasil”, liderado por Sara Winter, apoiadora do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

A ocupação, na Esplanada dos Ministérios, era considerada irregular por desrespeitar medidas de distanciamento social recomendadas pela OMS (Organização Mundial de Saúde) para impedir a propagação do coronavírus. No DF, quem circular em espaços públicos sem máscara sofre punição, uma multa de até R$ 2 mil para pessoa física e de R$ 4 mil para estabelecimentos.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também

Um dos acampamentos se instalou ao lado do Ministério da Justiça e Segurança Pública. Outro ficou próximo ao prédio da Agricultura. Segundo o jornal Correio Braziliense, um servidor da Esplanada denunciou que o grupo desobedecia a regra do governo local.

Em nota, a SSP/DF informou que as forças de segurança atuaram para desmontar os acampamentos irregulares sem confronto e de acordo com a legislação local, e que houve diversas tentativas de negociação para a desocupação da área, mas não houve acordo.

Alvo do Ministério Público do Distrito Federal e Territórios (MPDFT), os “300 do Brasil” se reúnem em Brasília desde o fim de abril com o intuito de “treinar” apoiadores de Bolsonaro para, entre outros objetivos, “expor e combater o totalitarismo da esquerda”.

Em seu Twitter, Sara Winter reclamou da ação policial e exigiu que o presidente intercedesse a favor dos “300 do Brasil”. “A Polícia Militar do Distrito Federal, junto à Secretaria de Segurança, desmantelou baixo gás de pimenta e agressões. Barracas, geradores, tendas, tudo à força! A militância bolsonarista foi destruída hoje. Presidente, reaja!!!”, cobrou Winter.

Leia também