Coronavírus: Governo de SP decreta quarentena para todo estado e confirma 15 mortes

Yahoo Notícias
Governador de São Paulo decreta quarentena de 15 dias para todo Estado (Foto: Miguel Schincariol/Getty Images)
Governador de São Paulo decreta quarentena de 15 dias para todo Estado (Foto: Miguel Schincariol/Getty Images)

O infectologista David Uip, coordenador da equipe que combate a pandemia do novo coronavírus no Estado de São Paulo, ao lado do governador João Dória (PSDB -SP), confirmou 15 mortes no estado de São Paulo decorrentes do Covid-19 neste sábado (21). Ao todo são 396 casos confirmados e mais de 9 mil casos suspeitos.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

E nos siga no Google News:

Yahoo Notícias | Yahoo Finanças | Yahoo Esportes | Yahoo Vida e Estilo

Seguindo as diretrizes dos órgãos de saúde, Dória declarou quarentena de 15 dias para todo o Estado de São Paulo a partir da próxima terça-feira (24) até o dia 7 de abril.

Leia também

“Essa medida pode ser renovada ou estendida. Somente os serviços essenciais irão funcionar - saúde, alimentação (supermercado e açougue), abastecimento (transportadoras, armazéns, postos de combustíveis, oficinas, transporte público, ônibus, trens, metrôs, app de transportes, bancas e pet shops), segurança e limpeza (pública e privada). Os comércios devem ficar fechados, ou seja, bares, cafés, restaurantes, padarias devem fechar as suas portas. Mas se desejarem podem funcionar por meio de delivery, inclusive, padarias. Bancos e lotéricas continuam funcionando”.

Ainda de acordo com o governador, com o decreto, o governo sai da área de recomendação tornando obrigatório o fechamento dos estabelecimentos e o isolamento das pessoas. A decisão não afeta o funcionamento das indústrias.

Vírus

Segundo a secretaria de saúde do Estado, as novas seis vítimas são idosos, sendo quatro mulheres, de 89, 76, 89 e 73; e dois homens, um deles com 49 anos, mas com tuberculose. Apenas um deles estava internado em hospital público, o restante na rede privada.

Até às 18 horas da última sexta (20), foram confirmados 396 casos no estado de São Paulo com 15 mortes e 34 pacientes internados em UTI em tratamento. Ao todo, 9 mil casos suspeitos.

Ainda neste sábado (21), às 12h30, as secretarias estaduais de Saúde divulgaram 1.021 casos confirmados de novo coronavírus no Brasil em 25 estados e no Distrito Federal. São 18 mortes confirmadas no país.

O governador e o prefeito de São Paulo Bruno Covas (PSDB - SP) manifestaram repúdio a quem não respeita as determinações a e quem minimiza a gravidade da crise.

Dória afirmou que determinou que a Polícia Militar atue para evitar festas e bailes em comunidades ou em quaisquer outros lugares. "Não são férias. Não é para ter funk, festas", disse.

Bruno Covas anunciou mais 490 leitos e disse que o sistema de saúde da cidade de São Paulo possui 1250 respiradores. “Precisamos achatar a curva de crescimento dessa pandemia e se precaver”, afirmou.

Não são férias!

Covas ainda citou o trabalho de conscientização sobre a gravidade da crise que a Prefeitura realiza.

“Estamos com mais de 20 carros de som percorrendo todos os pontos da periferia da cidade de São Paulo. Estamos levando informação para poder conscientizar a população”.

“Não teremos colapso na saúde pública de SP”

Sobre a declaração do ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, sobre o risco de “colapso” na saúde pública, Dória afirmou categoricamente que, em São Paulo, não haverá colapso.

“Estamos nos preparando desde o primeiro dia, desde o primeiro caso na China, com aumento no número de leitos, gestão de leitos, UTIs bem equipadas e prevenção para evitar o número de infectados. E já prevemos o aumento no número de leitos, tudo dentro do planejado”, acrescentou o médico David Uip, coordenador do centro de contingência da crise do coronavírus no estado.

Covas informou que a Prefeitura também se preparou para o cenário. “Desde janeiro trabalhamos para o sistema de saúde não entrar em colapso na cidade de São Paulo. Vamos entregar dois hospitais de campanha. Além disso, foi publicada uma portaria da Secretaria Municipal de Saúde que organiza os serviços de saúde para focar e priorizar casos de coronavírus”.

Leia também