Goleiro do Borussia Dortmund diz ter problemas para dormir depois de atentado

Goleiro Burki em ação pelo Borussia Dortmund. Foto: AFP

O goleiro do Borussia Dortmund, Roman Burki, disse em entrevista ao jornal suíço Der Bund que ainda está com problemas para dormir depois do atentado da última terça, quando uma bomba explodiu perto do ônibus da equipe alemã.

“Sigo tendo problemas para dormir. Isso é o pior, não conseguir dormir uma noite. Quando acordo, fico feliz de estar na minha cama, em casa”, revelou o goleiro suíço, que tem 26 anos e chegou ao Dortmund em 2015, uma temporada depois de se destacar no alemão Freiburg.

Burki estava sentado bem ao lado do zagueiro Bartra, o maior atingido pelo ataque. O espanhol precisou fazer uma cirurgia no braço. “Me dava conta das coisas em campo um pouco tarde, como se tivesse uma venda nos meus olhos”, afirmou o goleiro, se referindo à partida disputada no dia seguinte e perdida pelo Dortmund por 3 a 2.

Na terça-feira, três bombas explodiram próximo ao ônibus do Dortmund, que transportava a equipe para jogar a partida de ida das quartas de final da Liga dos Campeões, contra o Monaco. Nenhuma delas pegou em cheio o veículo, mas foram suficientes para arrebentar os vidros das janelas, o que causou lesões no braço de Bartra.

“Este foi o pior dia da minha vida, uma experiência que não desejaria para ninguém nesse mundo. A dor, o pânico, a incerteza de não saber o que estava acontecendo, nem quanto tempo duraria… Foram os 15 minutos mais longos e duros da minha vida”, disse o zagueiro espanhol revelado pelo Barcelona, em Dortmund desde o ano passado.

Leia também:
São Paulo sondou ex-palmeirense Valdivia, que planeja voltar ao Brasil em julho
Jornal inglês ‘lamenta’ desejo de Neymar em jogar no Flamengo
As frases mais ousadas de Felipe Melo desde que chegou ao Palmeiras