Gol mais bonito, recusa em 2017 e recorde: Fred reencontra o Flamengo em busca da Liberta pelo Fluminense

Luiza Sá
·4 minuto de leitura


Um dos maiores clássicos do Brasil, o Fla-Flu reúne uma série de boas histórias. Uma delas, que terá um novo capítulo nesta quarta-feira, é a de Fred. Entre gols bonitos, recordes conquistados, a briga por artilharias e uma recusa ao rival em 2017, o atacante terá mais uma oportunidade de marcar o nome na história do duelo, além de poder ajudar o Fluminense a voltar a vencer neste Campeonato Brasileiro. As equipes se enfrentam no Maracanã, às 21h30, em jogo com transmissão em tempo real do LANCE!.

>Brasileirão: R$ 20 milhões de prejuízo com bilheteria; veja renda líquida de cada clube

Neste retorno ao Fluminense, Fred busca alguns recordes. Mas foi contra o próprio Flamengo que ele se tornou o maior artilheiro do Brasileirão na era dos pontos corridos. E mais, naquela ocasião, quem deu a assistência para o gol foi Gerson, que hoje atua pelo Rubro-Negro, mas foi revelado pelo Tricolor. O volante, inclusive, foi responsável por quatro passes para o centroavante marcar com a camisa do Flu.

Os objetivos atuais são: aumentar os 150 gols atuais para ultrapassar Romário (154) e Edmundo (153) na artilharia do Brasileiro para se tornar o segundo colocado neste ranking, atrás de Roberto Dinamite (190). Além de subir entre os goleadores do próprio Flu. Fred soa 175 gols contra 184 de Orlando e 319 de Waldo. Por fim, o camisa 9 tenta retomar o trono no Novo Maracanã. Com 32 gols, ele foi ultrapassado por Bruno Henrique, com 36, e Gabriel Barbosa, com 42, entre os que mais marcaram no estádio.

VEJA A TABELA DO CAMPEONATO BRASILEIRO

Em suas passagens por Cruzeiro, Fluminense e Atlético-MG, Fred soma 24 confrontos contra o Flamengo. São seis vitórias para o centroavante, nove para o Rubro-Negro e nove empates. Até o momento, o jogador tem nove gols marcados contra o Fla, a maioria pelo Flu, mas não balança a rede em partidas com o rival desde maio de 2015, pelo Brasileirão, de pênalti.

QUASE MUDOU DE LADO

A história que hoje é contada com amor e idolatria no Fluminense poderia ter terminado de outra maneira. Quando deixou o Atlético-MG, Fred disse, em entrevista ao "Esporte Espetacular", que recebeu uma proposta do Flamengo. E, apesar do estafe indicar a volta ao Rio de Janeiro, o atacante preferiu preservar e valorizar a trajetória que tinha nas Laranjeiras, onde foi bicampeão brasileiro.

- Mancharia toda minha trajetória no Fluminense. A gente vê muitos trocando de rival assim, eu fiz isso em Minas. Comecei no Cruzeiro, saí, passei pelo Atlético-MG e depois fui direto para o Cruzeiro de novo. Fica uma cicatriz muito grande no torcedor. Não julgo quem faz, inclusive eu fiz. Não dá para falar se é certo ou errado, mas depende muito de cada um, do momento, do que já viveu. Não tem como eu jogar no lixo o que aconteceu comigo depois da Copa do Mundo de 2014. Aquilo ali vai além do futebol, né? Mexeu com minha família inteira. Quando eu vi aquela torcida me abraçando, segurando a bronca - afirmou o jogador.

BOAS RECORDAÇÕES

Foi contra o Flamengo que Fred marcou um de seus gols mais memoráveis da carreira, eleito por ele mesmo como o mais bonito. Em 2012, ano em que o Fluminense acabou como campeão carioca e brasileiro, o centroavante pegou de voleio um cruzamento feito por Deco, dando a vitória ao Tricolor por 1 a 0, pelo Campeonato Brasileiro.

É com as boas lembranças e a confiança pela ótima atuação na última rodada, contra o São Paulo, mesmo com a derrota, que Fred irá à campo mais uma vez pelo Fluminense. Nesta quarta-feira, o atacante espera ajudar a equipe a voltar a vencer neste Brasileirão, coisa que não acontece há três rodadas. Conquistar os três pontos pode recolocar o Flu na briga por uma vaga na Libertadores. O Tricolor está em sétimo lugar, com 40 pontos, quatro atrás do Palmeiras, o sexto.

- O Fla-Flu para a gente aqui é o maior jogo, maior clássico nosso. Temos mais dois grandes adversários, o Botafogo e Vasco. Mas esse é o mais esperado, principalmente quando tinha torcida. Naturalmente, representa mais para o clube e para o torcedor. Eu classifico como o maior clássico do Rio de Janeiro. O que eu mais posso fazer é ter motivação lá em cima. Vou estar com o nosso braço estendido no momento bom ou ruim. A maior dificuldade é olhar para os resultados ruins e não afundarmos muito. Se pegarmos as mesmas rodadas do primeiro e do segundo turno, estamos com apenas três pontos a menos. Tivemos problemas no primeiro turno também. Mas o que estamos tentando passar para a galera é que eles não precisam absorver isso. Isso tem que começar amanhã no clássico. Mas a nossa postura tem que ser a cada dia melhor - disse Fred em entrevista coletiva.