Glover vê possível luta contra Smith como escada para se aproximar de chance por título

Com três vitórias seguidas, Glover Teixeira vive novamente um grande momento no Ultimate. O brasileiro, que desde 2015 e 2016 não conseguia engatar uma sequência positiva dessa maneira, já começa a mirar voos mais altos. Atual número nove do ranking dos meio-pesados (93 kg), o brasileiro aceitou um desafio imposto por Anthony Smith, mas ainda não teve a confirmação oficial do UFC se essa luta vai acontecer. Ao que parece, a ideia é usar o rival como trampolim para poder chegar mais perto de uma nova disputa de cinturão da categoria.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, o ex-desafiante ao cinturão da categoria revelou que precisa manter a boa fase e que encarar um adversário do top 5 deve ajudá-lo na sua missão de 2020, que é tentar lutar novamente pelo cinturão. O mineiro não deixou de elogiar as características do americano, mas admitiu que sabe qual caminho precisa trilhar para sair com o braço levantado do octógono pela quarta vez de maneira consecutiva.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Vejo como um duelo duríssimo e também tenho que olhar para o ranking, né!? Ele é o número três do mundo, eu quero chegar a lutar pelo cinturão ainda esse ano e é uma ótima luta para mim. Tenho que ir lá, ganhar e entrar no radar de lutar pelo título de novo. Ele tem um gás e jiu-jitsu bons, finalizou o Gustafsson agora. Mas acredito que se pressioná-lo a luta vai ser minha”, explicou o mineiro natural da cidade de Sobrália.

Sem atuar desde setembro de 2019, Glover disse que não pretende esperar mais tanto tempo para retornar às competições. Por isso, destacou que pensa em lutar até o mês de abril e adiantou que tanto ele quanto Smith já têm tudo acordado para o confronto. Para oficializar essa luta, entretanto, basta somente a resposta positiva do UFC.

“De boca está tudo certo, nós dois aceitamos. Agora só precisa do UFC marcar. Não sei o que falta para marcar a data. Talvez estejam procurando um lugar. Só sei que o Anthony Smith quer lutar, falamos com o matchmaker e está tudo certo também. Falta essa resposta deles. Estamos programando para março ou abril. Essa é a data que está na minha cabeça. Mas qualquer hora, qualquer lugar a gente marca essa luta e vamos sair na porrada”, disse.

Com 40 anos, Glover é um dos atletas da velha geração ainda em ação e em alto nível. Fruto de uma melhor preparação e treinos mais específicos, o brasileiro ainda confia que possa ter uma chance de reencontrar Jon Jones e ser o responsável por desbancar o americano, que ainda não perdeu uma luta que valesse título na carreira.

“Mais cedo ou mais tarde isso vai acontecer (o Jones perder). O Jon Jones é um ícone, maior peso-meio-pesado da história e está difícil de tirar ele. Quem sabe um da velha geração ainda não o tire. Estilo Rocky Balboa”, brincou.

Glover disputou o cinturão da categoria em abril de 2014, mas acabou derrotado na decisão unânime dos juízes pelo campeão Jon Jones. Atualmente, o brasileiro ocupa a nona posição no ranking da divisão. Em sua última apresentação, o brasileiro derrotou Nikita Krylov, em setembro de 2019 por decisão dividida.

Leia também