Globo favorece Corinthians e Flamengo em novo acordo de direitos de TV, reclamam clubes

Yahoo Esportes
Cuéllar e Mateus Vital disputam bola. Foto: Thiago Ribeiro/Agi/Gazeta Press
Cuéllar e Mateus Vital disputam bola. Foto: Thiago Ribeiro/Agi/Gazeta Press

Cartolas de clubes que fecharam os direitos de TV do Brasileiro a partir de 2019 com a Globo reclamam que o sistema que a Globosat planeja adotar para medir a audiência no pay-per-view no próximo ano favorecerá Corinthians e Flamengo, os clubes mais populares do Brasil.

Na disputa com o Esporte Interativo pelos direitos de TV do Nacional do ano que vem, a Globosat adotou o sistema de remuneração dos 40-30-30 (40% da receita dividida de forma igualitária entre os clubes, 30% de acordo com performance e 30% definidos pela exibição).

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A ideia da Globosat, em fase de implentação, é que cada telespectador do canal Premiere informe para qual time torce no momento da assinatura. Os percentuais de cada equipe definiriam qual a parte do “bolo” da receita cada agremiação teria direito. Porém questões operacionais impedem que o sistema seja adotado já a partir do Brasileiro do ano que vem.

Diante de impossibilidade, para medir a audiência dos clubes a Globosat propõe usar, ao menos provisoriamente, uma pesquisa nacional do Ibope, o que não caiu bem com diversos clubes. Além de apontar que Corinthians e Flamengo são os clubes mais populares do Brasil, o que de largada os beneficiaria, cartolas questionam o fato de a pesquisa ser nacional, e não regional, já que alguns clubes são populares em seu entorno, em suas respectivas regiões metropolitanas, e não no seu estado como um todo.

Outro ponto questionado por dirigentes é a remuneração pela venda de pacotes por meio de aplicativos diretamente pela Globosat ao internauta. Argumentam que se a Globosat não precisa mais remunerar as operadoras, que funcionam como intermediários, essa diferença poderia muito bem ir para os cofres dos clubes, mas que não há previsão para isso ocorrer.

Outro lado

O Grupo Globo, por meio de nota, respondeu o questionamento dos clubes de futebol. Leia a seguir:

“A área de Esporte do Grupo Globo esclarece que o novo modelo de remuneração dos clubes da Série A do Campeonato Brasileiro a ser implementado a partir de 2019 endereça mais equilíbrio a aspectos relacionados à meritocracia esportiva e comercial de maneira consistente, atendendo a uma demanda dos próprios clubes e em benefício do desenvolvimento do Futebol Brasileiro. A própria evolução da ferramenta para auferir o ratio do PPV foi objeto de discussão na implementação do Novo Modelo 2019-24 é um grande e transformador passo da relação referente aos direitos da Série A, destinado a encaminhar outros aprimoramentos, em parceria com os clubes. Com relação a ganhar mais ou menos com a Venda Direta, os acordos contém provisões específicas para tal. Existem atividades, etapas e serviços em qualquer processo de venda, com ou sem operadoras envolvidas.”

Veja mais de Eduardo Ohata

Leia também