Globo e CBF discordam sobre MP de transmissão de jogos


A Medida Provisória 984, referente às transmissões esportivas, está causando atrito nos bastidores do futebol brasileiro. A alteração na Lei Pelé feita pelo presidente Jair Bolsonaro (sem partido) no final da última semana e que, entre outras novidades, dá aval para que clubes mandantes definam quem exibirá seus jogos, traz interpretações diferentes entre CBF e Globo.

A entidade máxima do futebol brasileiro entende que a MP pode ser vantajosa para valorizar ainda mais o Campeonato Brasileiro, enquanto a segunda afirma que não vai abrir mão dos contratos previamente assinados, com validade até 2024. A informação é do jornal "Folha de São Paulo".

A Rede Globo assinou contratos de transmissão de Estaduais e do Campeonato Brasileiro com diversos clubes do país pelos próximos quatro anos. Em nota divulgada, a empresa afirmou que vai honrar os compromissos contratuais.



"A Globo continuará a transmitir regularmente os jogos dos campeonatos que adquiriu, de acordo com os contratos celebrados, e está pronta para tomar medidas legais contra qualquer tentativa de violação de seus direitos adquiridos", afirmou, em nota.

Com a MP, tanto Globo quanto Turner poderão transmitir a mesma partida quando o jogo for de equipes que assinaram com diferentes empresas. Este cenário é visto pela CBF como otimismo: a maior divulgação é vista como um potencial aumento de receitas de patrocínios e valorização do Campeonato Brasileiro.

Com a medida, o Flamengo, que não assinou contrato com a Globo para o Campeonato Carioca, poderia transmitir os jogos que for mandante no Estadual na "FlaTV", seu canal no YouTube. Até a publicação desta matéria, contudo, o Rubro-Negro não divulgou nenhuma posição oficial sobre o assunto.




Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também