Giovanni Augusto fala em ser ídolo do Timão; Marquinhos vê desconfiança

Bruno Cassucci

O meia Giovanni Augusto falou neste domingo pela primeira vez sobre a recusa de se transferir do Corinthians para o Internacional por empréstimo. Depois da partida contra o Botafogo-SP, neste domingo, quando voltou a ser relacionado após um mês, devido a lesão, o jogador confirmou que não aceitou ser trocado por Valdívia.

Giovanni, que foi contratado por R$ 15 milhões em 2016, mostrou confiança em dar a volta por cima, reconquistar a titularidade no Timão e cair nas graças da Fiel Torcida:

- É normal em uma negociação a diretoria conversar com você e perguntar se você quer sair. Eu fui claro, falei que queria ficar no Corinthians, é um sonho de criança que virou realidade, sei que um dia posso virar ídolo, estou muito feliz aqui - disse o jogador.

O meia ponderou que ano passado foi prejudicado pela má fase da equipe e que neste ano sofreu duas lesões musculares:

- Estou muito feliz de poder voltar agora, infelizmente tive lesões que me atrapalharam quando eu estava começando a ter uma sequência de jogos, isso acabou me atrapalhando um pouco. Estou com a consciência tranquila, só vou recuperar meu espaço com o trabalho, o importante é que o time está vencendo. Tenho que ter paciência, há jogadores na frente, preciso trabalhar para reconquistar o espaço - comentou.

Quem também falou foi Marquinhos Gabriel, outro contratado em 2016 que está na reserva nesta temporada. Recuperado de cirurgia de hérnia inguinal, o meia entrou no segundo tempo da partida contra o Botafogo-SP e disse que sente desconfiança de parte da torcida em relação a ele e pediu apoio.

- Metade gosta, mas metade ainda tem desconfiança. É como eu falei, vou continuar trabalhando no dia a dia para adquirir a confiança de todo mundo. Da diretoria eu já tenho, mas quero cada vez mais. Agora, falando no geral, é a hora de trazer a torcida para o nosso lado. Precisamos dela junto, somos muito fortes aqui dentro da Arena.











E MAIS: