Ginasta brasileira busca o 'sorriso perfeito' para encantar em Tóquio

LANCE!
·2 minuto de leitura


Com passos de ballet clássico, mistura de ritmos, força, precisão, leveza e delicadeza, as ginastas cumprem os requisitos de um dos esportes mais exigentes da grade olímpica. Entre as exigências, está a importância das expressões faciais, que contam pontos na hora de subir ao pódio. Barbara Domingos, da ginástica rítmica e medalhista de prata nos Jogos Pan-Americanos de Lima, em 2019, está empenhada em buscar o "sorriso perfeito" a tempo da Olimpíada de Tóquio, para a qual ela ainda busca a classificação.

- A ginástica é a arte de expressar com o corpo e de conquistar pela beleza dos movimentos. O sorriso é essencial para transmitir para o público o que sentimos no tablado - conta a medalhista, que viajou para a disputa da Copa do Mundo de ginástica rítmica, em Sofia (Bulgária). Se o Pan deste ano, marcado para ocorrer no Brasil, for cancelado por causa da pandemia, ela estará automaticamente classificada para os Jogos de Tóquio.

Cinco vezes campeã brasileira e seis vezes campeã Sul-Americana, Barbara irá disputar o Pan-Americano em julho deste ano em busca da última vaga para as Olimpíadas no Japão.

- Estar nas Olimpíadas é o maior sonho de qualquer atleta e, para chegar lá, todos os requisitos são essenciais, por isso, estamos treinando muito e também focando no cuidado com o corpo - ressalta.

Pela importância do sorriso nas apresentações, atletas da ginástica artística e rítmica dos clubes Agir e Cegin de Curitiba, no Paraná, começaram um tratamento ortodôntico focado no alinhamento dos dentes e melhora da função. Barbara é uma das participantes. E para a dentista responsável pelo processo e especialista em alinhadores ClearCorrect, Isabela Shimizu, as vantagens vão além da estética.

- O tratamento com alinhadores transparentes permite que elas mantenham o cuidado mesmo em viagens ou períodos fora da cidade, por exemplo - explica a dentista.

Além disso, o formato ainda garante que as atletas possam usar o aparelho mesmo durante o treinamento ou competições.

- O ideal é que o paciente use os alinhadores 22 horas por dia, retirando somente nas refeições, mas como ele é transparente e tem um formato mais anatômico, as atletas não correm o risco de ferir a boca ou aparentar estarem em tratamento ortodôntico - ressalta Isabela.

Para a coordenadora do Clube Agir, Marcia Naves, a oportunidade auxilia na autoestima das atletas.

- As meninas começam na ginástica muito cedo, algumas com quatro anos de idade, e passam a maior parte da infância e adolescência se dedicando ao esporte, mas o cuidado com elas mesmas é essencial, traz mais confiança e demonstra a importância da autoestima para elas - finaliza.

A iniciativa vai fornecer o subsídio para o tratamento de alinhadores ortodônticos de até dez ginastas por parte do Grupo Straumann, que detém a marca ClearCorrect e também a paranaense Neodent.