Gilberto Silva relembra o milagre de Victor na Libertadores: “escutei até a respiração do torcedor”

Goal.com

O ex-volante, campeão mundial pela seleção brasileira e da Libertadores pelo Atlético-MG, Gilberto Silva participou de uma live no Instagram da Goal. Ele falou sobre carreira, títulos e companheirismo - e tudo isso junto, claro.

Ídolo do Galo, o ex-volante relembrou o título mais marcante que conquistou no clube: a Libertadores de 2013. No jogo de volta da final, "muito difícil", porém a mais emocionante de sua carreira, como disse Gilberto Silva, o Atlético precisou de um herói para conquistar o título: o goleiro Victor. 

O Atlético perdeu o jogo de ida, no Paraguai, contra o Olímpia por 2x0, precisando reverter o placar em Minas Gerais para ficar com a taça. Ao final dos 90 minutos, o jogo está novamente 2x0, desta vez favorecendo os mineiros, com isso, os dois times precisaram enfrentar uma prorrogação, que não mudou o placar. E então vem a disputa de pênaltis e Victor, de uma vez por todas, se sagra um herói atleticano ao pegar um pênalti do Olímpia - mais um, depois de outros dois que ele defendeu nas fases anteriores - e levar o Galo ao título inédito na história.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio
Victor Atlético-MG Newell's Old Boys Copa Libertadores 10072013
Victor Atlético-MG Newell's Old Boys Copa Libertadores 10072013

No momento da cobrança, o Mineirão estava em silêncio absoluto, como lembra o volante. "No momento do pênalti, eu presenciei uma coisa que nunca tinha presenciado em estádio de futebol. Nunca tinha ouvido o suspiro das pessoas num estádio. E naquele jogo eu ouvi. Eu conseguia escutar a respiração do torcedor. Era como se fosse uma cena fúnebre. Não se ouvia nada, ninguém, até o Victor fazer a defesa”.

Mas a história poderia ter sido muito diferente se não fosse o próprio Gilberto Silva, mesmo que ele estivesse no banco na final. Isso porque, o dedo do volante entrou mais de um ano antes daquela defesa, em 2012, quando os dois eram companheiros de Grêmio. 

Naquele mesmo ano o Galo estava interessado na contratação do goleiro, já com 29 anos. Estabelecido no Grêmio e em Porto Alegre, Victor estava em dúvida sobre aceitar ou não a proposta. Então, conversando com Gilberto Silva, ouviu o conselho que mudaria o rumo de sua carreira: "Vem pra Belo Horizonte, vem pro Atlético, você vai ser muito bem recebido, você vai ter um carinho de forma excepcional, não que ele não tivesse no Grêmio. Vem pra novos territórios. Uma torcida diferente, você vai ver".

E foi assim que Gilberto Silva, mesmo do banco de reservas, teve uma participação decisiva na alegria da torcida que ele considera "sensacional". 

Leia também