Gilberto Gil diz que ataques a ele no Qatar são estúpidos e agradece solidariedade de fãs

*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 02/11/2022 - Gilberto Gil antes da abertura do Festival Musica em Movimento, no teatro Sergio Cardoso. (Foto: Greg Salibian/Folhapress)
*ARQUIVO* SÃO PAULO, SP, 02/11/2022 - Gilberto Gil antes da abertura do Festival Musica em Movimento, no teatro Sergio Cardoso. (Foto: Greg Salibian/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O cantor Gilberto Gil, de 80 anos, agradeceu o apoio que recebeu após ter sido xingado por torcedores brasileiros na última quinta-feira no momento em que caminhava para assistir à estreia do Brasil na Copa do Mundo de 2022. Além dele, a empresária Flora Gil também foi alvo dos ataques.

"Nossos agradecimentos, meu e da Flora, enfim por essa solidariedade diante dessa agressão, dessa coisa estúpida", afirmou o cantor em um vídeo no Instagram.

Ele afirmou que a situação pela qual passou é o terceiro turno de eleitores inconformados que perpetuam mais um capítulo "dessa sequência de ódio que é o que eles gostam de fazer".

A agressão sofrida por Gil e Flora ocorreu num corredor enquanto caminhavam para assistir à partida do Brasil contra a Sérvia.

"Vamo, Lei Rouanet", gritou um dos homens. Ele estava com um copo na mão, vestido com a camisa da seleção e usava um chapéu verde e amarelo estilizado no momento em que Gil e Flora andavam em direção ao estádio. O casal estava acompanhado da empresária Lilibeth Monteiro de Carvalho.

Após ouvir a provocação, Gil, Flora e Monteiro de Carvalho pararam por alguns segundos e depois seguiram caminhando. No vídeo, é possível ouvir vozes mencionando o nome do presidente Jair Bolsonaro e falando palavrões em direção ao cantor, que não reagiu.

Também vestido com a camisa da seleção, outro torcedor abordou Gil e fez um selfie enquanto o grupo ouvia as ofensas.

Depois do episódio, figuras públicas foram às redes sociais prestar solidariedade a Gil e Flora. O senador Randolfe Rodrigues, da Rede, do Amapá, que já recebeu ameaças pelas redes sociais, chamou os torcedores de criminosos.

"Um artista de 80 anos sendo vítima de golpistas. Vamos denunciar e cobrar punições da Fifa. Já passou da hora de essa gente ir para o lugar que merece, a cadeia", disse.

O deputado federal André Janones, do Avante, de Minas Gerais, também compartilhou o vídeo e afirmou que a nova onda da extrema direita é cometer crimes.

"É terrorismo, ameaça, injúria. O crime foi filmado, aparentemente o bandido se orgulha do que fez com Gilberto Gil (80 anos de idade), a quem presto toda a minha solidariedade."

A atriz Leandra Leal também condenou a atitude dos torcedores. "Uma das coisas que mais me deixa feliz em ser brasileira é ser do mesmo país que Gilberto Gil", escreveu. "Gil é um gênio, um dos maiores artistas, ativistas, um ser iluminado".

Caetano Veloso, parceiro e amigo de Gil, escreveu que o artista foi injuriado por bolsonaristas. "Quero prestar solidariedade ao gênio Gil e dizer que nós, os artistas, assim como a verdadeira sociedade, esperamos que os criminosos sejam punidos".

Aliados do presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva, do PT, também se posicionaram contra as hostilizações. Eles compartilharam o vídeo mostrando as agressões e pediram que os responsáveis sejam identificados e punidos.