Gilberto Gil decide não fazer denúncia ou reclamação formal após ofensa na Copa

O blog apurou que o cantor e compositor Gilberto Gil decidiu não fazer nenhuma denúncia ou reclamação formal à organização da Copa do Mundo após ser alvo de ofensas no estádio em que acompanhou a estreia do Brasil contra a Sérvia, no Catar.

O artista está no mesmo hotel que serve de concentração para a seleção brasileira em Doha, e recebeu a solidariedade de algumas pessoas por lá. O técnico Tite e os jogadores não souberam do ocorrido.

Simulador: você decide quem será campeão da Copa do Catar

Tabela da Copa: Datas, horários e grupos do Mundial do Catar

Gil e a esposa foram rondeados por alguns torcedores também do Brasil enquanto tentavam entrar nas arquibancadas do estádio Lusail, na última quinta-feira.

“Vamos Bolsonaro”, grita um dos homens, que vestia uma camiseta da CBF com o nome “Papito Rani”. “Vamos, Lei Rouanet!”, disse outro.

Na manhã deste domingo, o compositor usou suas redes sociais e falou pela primeira vez após o episódio. No vídeo, o cantor agradeceu pela solidariedade recebida por amigos e fãs, depois do episódio que aconteceu na última quinta-feira, dia do jogo entre Brasil e Sérvia pela Copa do Mundo.

"Obrigado a todos pela corrente de solidariedade, aos amigos que ligaram e se manifestaram nas redes sociais. Amanhã estaremos torcendo pela seleção brasileira e por um Brasil sem ódio", escreveu no Twitter.

Álbum completo: conheça todos os 831 jogadores da Copa

Ao vivo: Bastidores, informações e análises da cobertura direto de Doha

Após o vídeo que circula nas redes sociais em que mostra o compositor Gilberto Gil, de 80 anos e a esposa Flora Gil sendo ofendidos, bolsonaristas voltaram a comparar os xingamentos a criticas a atriz Regina Duarte.