Gilberto Gil agradece apoio de Lula e Janja após ataque no Catar: 'O amor vai seguir vencendo'

O cantor Gilberto Gil, de 80 anos, foi hostilizado por torcedores brasileiros no estádio Lusail, no Catar, no dia do jogo entre Brasil e Sérvia pela Copa do Mundo. O artista recebeu o apoio de fãs e celebridades. Lula, presidente eleito, e Janja, futura primeira dama, ligaram para Gil para manifestar solidariedade.

Daniela Mercury tenta identificar agressor de Gilberto Gil: 'tiro foto, dou abadá, ingresso pra show'

Gilberto Gil: compositor decide não fazer denúncia ou reclamação formal após ofensa na Copa

"Ligamos para Gilberto Gil e Flora manifestando nossa solidariedade e indignação pela agressão sofrida no QatarGil é patrimônio da música brasileira e merece todo nosso respeito e reverência. Que o agressor seja identificado e responda pelo seu ato", publicou Janja em seu perfil no Twitter.

O músico agradeceu o apoio de Janja e Lula também no Twitter: "O amor vai seguir vencendo. Obrigado, queridos." Gilberto Gil foi ministro da Cultura durante o governo Lula.

Em vídeo publicado nas redes sociais, o cantor também agradeceu pela solidariedade recebida por amigos e fãs.

— Nossos agradecimentos, meus e da Flora, enfim, por essa solidariedade, essa corrente solidária diante dessa agressão, essa coisa estúpida. Enfim, é o terceiro turno, na verdade, né. Os inconformados querendo manter essa coisa do ódio, da agressividade — disse Gilberto Gil em trecho publicado nas redes.

Gilberto Gil, de 80 anos, e a empresária Flora Gil, de 62 anos, se dirigiam à arquibancada quando foram abordados por torcedores brasileiros com palavrões e gritos de "Vamo, Lei Rouanet", em referência à lei de incentivo a projetos culturais, e "Vamo, Bolsonaro", em apoio ao presidente Jair Bolsonaro. Ambos não responderam aos insultos.