Gerson, o Canhotinha de Ouro, garante: "Neymar não teria vaga em 1970 nem no banco"

Gerson, meio-campista da Seleção Brasileira na Copa do Mundo de 1970, elogia Neymar, mas acredita que o atacante do Barcelona não teria vaga na equipe que faturou o título no México. Ele, na verdade, vai além e garante que ele teria dificuldades de permanecer até no banco de reservas.

Em entrevista à Fox Sports, o Canhotinha de Ouro cita os atletas que atuaram no time daquele período e os compara a Neymar:

"O Neymar não teria vaga. Ele jogaria no lugar de quem? Não vai ser no lugar do Rivellino. E do Pelé? Do Tostão? Do Jairzinho? No meio-campo também não dava para ele", avaliou.

"Nós tínhamos o Caju, um talento enorme. Na ponta e no meio, jogava muito. Era talento puro. Ele [Caju] rendia dos dois lados da mesma forma. E era banco. Ainda tem isso. Eu não sei se o Neymar teria vaga nem no banco", completou.

Gerson Canhotinha de Ouro Fluminense


(Foto: Reprodução Internet)

Gerson fez uma análise da goleada sofrida para a Alemanha, na semifinal da Copa de 2014, em pleno Brasil, e fez duras críticas aos jogadores de Luiz Felipe Scolari:

"Eu achava que com 2 a 0 contra, a seleção tinha que parar tudo em campo, no sentido de: 'Vamos reorganizar'. Qualquer um deveria fazer. Se não veio [ordem para reorganização] lá de fora, que viesse aqui de dentro do campo. Tinha gente experiente no time", comentou.

"Mal comparando. Em 70, no Brasil x Uruguai... no primeiro tempo não jogamos nada. Quando fomos para o intervalo, o Zagallo falou: 'vocês vieram para jogar ou para fazer isso aí'", completou.