Gerson, do Flamengo, acusa de racismo Ramírez, do Bahia

·4 minuto de leitura
RIO DE JANEIRO, RJ, 2012.2020 - FLAMENGO-BAHIA - Gerson, do Flamengo, discute com o técnico Mano Menezes, do Bahia, durante partida válida pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro de Futebol 2020, realizada no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, na noite deste domingo (20). (Foto: Jorge Rodrigues/Agif/Folhapress)
RIO DE JANEIRO, RJ, 2012.2020 - FLAMENGO-BAHIA - Gerson, do Flamengo, discute com o técnico Mano Menezes, do Bahia, durante partida válida pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro de Futebol 2020, realizada no estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, na noite deste domingo (20). (Foto: Jorge Rodrigues/Agif/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - A heroica vitória do Flamengo sobre o Bahia, neste domingo (20), pelo Campeonato Brasileiro, terminou com uma acusação de racismo.

O meio-campista Gerson, do time carioca, acusou o colombiano Juan Ramírez, seu adversário, de tê-lo chamado de negro durante uma discussão durante o jogo no Maracanã.

"Tenho muitos jogos pelo profissional e nunca vim na imprensa falar nada porque nunca sofri esse preconceito [...] O Ramírez, quando tomamos acho que o segundo gol, não me lembro, o Bruno [Henrique] fingiu que ia chutar a bola e ele reclamou. Eu fui falar com ele, ele falou bem assim para mim: 'Cala a boca, negro'. Eu estou vindo aqui, nunca falei nada disso, porque nunca sofri, mas isso aí eu não aceito", afirmou após o fim do jogo, ao canal Premiere.

Gerson também disse que foi desrespeitado pelo técnico do Bahia, Mano Menezes. Após a partida, o canal SporTV recuperou imagens da confusão, nas quais é possível ver uma discussão entre os dois.

"Ele me chamou de negro", grita Gerson. Mano responde: "Agora virou malandragem?". "Malandragem? Pergunta pra ele", retruca o meia. A confusão segue. Pouco depois, é possível ver o treinador falando com o quarto árbitro.

"Se nós estamos errados, tá errado. Mas aquele menino [supostamente se referindo a Ramírez] não ia fazer isso. Eu conheço o jogador, o jogador chegou agora, é um guri."

Mano também pede a expulsão de Gerson por tê-lo xingado na frente do árbitro da partida.

Em outro momento, o treinador é flagrado dizendo: "Tem que tomar bico do Daniel [Alves], que é mais malandro que tu".

Gerson também falou sobre isso na entrevista após a partida. Para ele, Mano estaria ironizando o fato de Daniel Alves, do São Paulo, ter vencido os duelos entre os dois recentemente. Nesses jogos, ambos se estranharam diversas vezes.

Após o jogo contra o Bahia e a denúncia, o meia flamenguista usou suas redes sociais para abordar o episódio e lembrou da célebre fala de Angela Davis: "não basta não ser racista, é preciso ser antirracista".

"O futebol não é algo fora da sociedade e um ambiente onde barbaridades como o 'cala boca, negro' podem ser aceitas [...] Não me calaram na vida, não me calaram em campo, jamais vão diminuir a nossa cor", escreveu, pedindo punição por parte das autoridades.

O Flamengo repudiou o ocorrido e pediu uma investigação. "O racismo desumaniza, fere e mata. O racismo é inadmissível. Exigimos profunda apuração do fato."

Nas suas redes sociais, o vice-presidente geral, Rodrigo Dunshee de Abranches, afirmou que o clube acionará tanto Ramírez quanto Mano no Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) e deu a entender que medidas poderão ser tomadas na Justiça comum.

"Além de apoiar o Gerson na esfera criminal, o Flamengo representará ao STJD contra o atleta que ofendeu racialmete o Gerson, assim como o fará contra o Mano Menezes, que apoiou a ofensa racial e chamou de malandragem", escreveu.

Técnico do Flamengo, Rogério Ceni também lamentou o ocorrido, elogiou a qualidade técnica do jogador e afirmou que "atacar um ser humano, como o Gerson relatou, é de um nível muito baixo".

"Com relação ao Gerson, acho prematuro tecer uma crítica ou zombar, qualquer coisa, antes de apurar os fatos. Eu não consigo ver de longe, mas, pelo relato do atleta, acho um pouco complicado. É o que tenho para falar", completou, sobre a postura de Mano Menezes no caso.

A partida foi bastante tensa. Logo aos nove minutos, o atacante Gabigol foi expulso após supostamente xingar o árbitro da partida, quando seu time vencia por 1 a 0.

O Flamengo chegou a abrir 2 a 0, mas tomou a virada com um dos gols inclusive sendo marcado por Ramírez.

Durante todo o jogo, não foram poucas as discussões entre os jogadores, e uma série delas envolveu Gerson, Bruno Henrique e Ramírez. O meia flamenguista não precisou em que momento a ofensa teria acontecido.

A equipe carioca, mesmo com um a menos, conseguiu virar e fechou o placar em 4 a 3. O meia Daniel, do Bahia, ainda foi expulso nos minutos finais do jogo.

Procurado, o Bahia, clube que se notabilizou nos últimos anos por se engajar em causas sociais e contra o racismo, disse que iria apurar os fatos e deveria se pronunciar a respeito.

Vários times publicaram mensagens em apoio ao atleta, incluindo os rivais Vasco e Botafogo, além de Corinthians, Santos, entre outros.