Gerente do Botafogo destaca realidade 'sem filtros' em 'Acesso Total': 'Produto histórico'

·2 min de leitura


O SporTV lançou a segunda temporada de "Acesso Total" na terça-feira, com bastidores do Botafogo desde a queda no último Campeonato Brasileiro até o título da Série B nesta temporada. A série mostra os bastidores pelos vestiários, salas da diretoria e tem livre acesso para exibir conversas privadas, discussões e assuntos internos referentes à reformulação do Glorioso.

+ Ao L!, diretor de documentário revela ansiedade: 'Importante pro Botafogo ter um registro desse momento'

Com oito episódios de trinta episódios, a série será exibida pelo canal de TV fechada e pelo "Globoplay" toda terça-feira a partir das 19h. Júlio Gracco, gerente de comunicação do Botafogo, valorizou o produto.

– O documentário ‘Acesso Total’ é um projeto estratégico do Botafogo: dar transparência às decisões da gestão profissional que estão em curso. É uma verdadeira imersão no dia a dia, sem filtros, e com muito conteúdo especial e inédito. Um produto valioso e histórico, feito com muita paixão e capricho - afirmou.

O primeiro capítulo da série traz diálogos exclusivos de personagens importantes de fora dos gramados do Botafogo durante o ano de 2021, como o presidente Durcesio Mello e o diretor de futebol Eduardo Freeland. Nas quatro linhas, o goleiro Gatito Fernández, o zagueiro Kanu, que se tornou uma liderança dentro de campo desde a queda para a Série B, e o meia Chay são destaques em cenas inéditas.

– É uma oportunidade de criar novos horizontes. A imagem que se passa será essencial para que se crie conexões com novas marcas e empresas. Um conteúdo desse tipo vale demais, por isso deve ser explorado tanto para fortalecer a instituição e os próprios jogadores - coloca Renê Salviano, fundador da agência HeatMap, especializada na captação de patrocínios no esporte.

Ferramenta importante na criação de conteúdos, o futebol tem criado cada vez mais materiais que vão além da exibição de partidas ao vivo. No período da pandemia, os clubes brasileiros aumentaram os investimentos no streaming, geração de conteúdo e interação com os torcedores. Para Bruno Maia, CEO da "Feel The Match" e especialista em inovação e negócios na indústria do esporte, é fundamental que os times explorem novas fontes de conteúdo.

– O que conhecemos de conteúdo esportivo até hoje está ligado ao ‘jornalismo promocional’, aquele que promove a competição transmitida por determinada emissora. Com a migração do esporte para as plataformas de conteúdo não linear, aquilo que nos acostumamos a ver nas TVs aberta e a cabo não fará mais tanto sentido. No streaming, o que promove é o conteúdo colateral, no caso, as séries e documentários - explica Maia.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos