'A gente escuta as pessoas chorando desesperadas', diz jogador que teve a casa atingida por míssil em Israel

·2 minuto de leitura


Na última sexta-feira o jogador Higor Vidal, meia que atua no futebol israelense, voltou ao Brasil após ter seu apartamento destruído por míssil palestino. Atleta do Hapoel Petah Tikva, o brasileiro publicou em suas redes sociais o apartamento devastado por conta do conflito armado entre Israel e Palestina. Em entrevista ao "ge", o atleta desabafou sobre o acontecido.
+ Confira a classificação dos grupos da Libertadores

A guerra entre os Estados já deixou mais de 120 pessoas na Faixa de Gaza e dez na Cisjordânia, ambas zonas palestinas. Oito pessoas teriam sido mortas em Israel.

Higor Vidal mora em Petah Tikva, cerca de 15 quilômetros da capital Tel Aviv. O brasileiro, que mora com sua esposa grávida do primeiro filho do casal, teve seu apartamento devastado na madrugada de quinta-feira, quando foi acordado por sirenes que indicavam o ataque.

- Aquele lugar está um terror. A gente escuta as pessoas chorando desesperadas, então peço orações pela paz e o fim da guerra - iniciou.

- Quero dizer a todos que estamos bem, mas ainda bem mexidos com a situação. Está difícil de acreditar ainda, mas o mais importante é que a gente está vivo. Peço a vocês orações para Israel e a Palestina. Enquanto a gente está conversando aqui, eles estão em guerra - completou Higor.

Apesar do imóvel destruído, o jogador conta que ele e Victoria Lorenzetti estavam dentro do bunker no momento em que o bombardeio atingiu sua casa. O quarto é revestido de aço e conta com janelas e portas especiais, além com uma saída de ar, construído dentro da residência e que funciona como um método de proteção quando sirenes alertam sobre ataques aéreos.

- É um quarto que é revestido em aço. É lei naquela região que todos os apartamentos tenham, nas construções mais atuais. Tocou a sirene, você tem um minuto e meio para se abrigar no bunker – detalhou o Leandro Lorenzetti, pai de Victoria.

Higor Vidal, de 24 anos, é natural do Paraná e iniciou sua trajetória nas categorias de base do Santos e passou depois por Paraná Clube e Londrina antes de se profissionalizar. No Hapoel Petah Tikva, disputou 28 jogos, sendo 22 como titular, e marcando um gol.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos