Gastón Fernández chega ao Grêmio e veste a camisa 10

Experiente, e com um currículo que empolga, o argentino Gastón Fernández vestiu, de maneira oficial, a camisa do Grêmio nesta terça-feira. Durante a apresentação, ao lado do vice-presidente de futebol, Odorico Roman, falou sobre adaptação, condição de jogo e o número escolhido: com a lesão grave de Douglas, o meia pegou a camisa 10 e comentou sobre esta responsabilidade.

“Tenho uma camisa com um número muito representativo e vou tentar ser o mesmo jogador que o Douglas. Hoje tenho a possibilidade de cuidar desta camiseta e estou muito feliz. À torcida, digo que me entregarei ao máximo para ajudar meus companheiros a conseguir os objetivos traçados para este ano”, afirmou o atleta durante a coletiva de imprensa.

Conhecido por “La Gata” em seu país, o jogador de 33 anos estava no Universidad de Chile antes de assinar com o Tricolor Gaúcho. Em sua carreira, coleciona passagens por grandes clubes sul-americanos, como Tigres, River Plate e San Lorenzo. A principal fase, entretanto, foi vivida no Estudiantes, onde conquistou a Copa Libertadores de 2009 e atuou por cerca de nove anos. No bate-papo, apresentou seu estilo de jogo.

“Minhas características são de um jogador ofensivo. Posso ser a ligação entre os atacantes e os volantes. Gosto de estar sempre próximo ao gol para marcar. Mas quero ser útil ao treinador, para que ele confie em mim quando precisar. Na última passagem pelo Estudiantes era um armador, mas também um jogador que gostava de chegar ao gol. Eu não sou um jogador de ficar contente apenas com um passe, gosto também de fazer gols. E tomara que a torcida possa ver o melhor de mim”, disse.

Por fim, Odorico Roman confirmou que o argentino terá condições de jogar nesta quarta-feira, contra o Brasil de Pelotas, às 21h45 (de Brasília). Além da documentação, que o vice-presidente garantiu estar sendo providenciada e regularizada a tempo, Gastón Fernández falou da adaptação ao novo clube e aproveitou para elogiar a equipe gaúcha.

“Estou aos poucos entendendo o português. É uma adaptação que vai levar um tempo. Mas estou muito agradecido pela recepção dos meus companheiros. Estou há anos assistindo o futebol brasileiro, e o Grêmio sempre foi uma equipe de muita história, que todos jogadores gostariam de atuar. Quero aproveitar esta oportunidade”, finalizou.