Ganhar a Liberta e deixar um legado: os últimos objetivos de Zé Roberto

Fellipe Lucena

Zé Roberto voltou no tempo neste domingo. Em seu 23º e último ano de carreira - até que se prove o contrário -, o jogador do Palmeiras foi um dos padrinhos da Young Champions, torneio escolar organizado por Adidas e Uefa, em que garotos de várias idades colocam seus sonhos à prova. Como o próprio Zé já fez um dia.

- Quando a gente chega a uma quadra como essa, passa um filme na cabeça. Eu comecei na escola. A aula que eu prestava mais atenção era a de educação física, porque eram 20 minutos ou meia hora que a gente tinha para desenvolver os talentos na quadra. Eu participei do vôlei, do handball, mas consegui desenvolver no futebol, que foi o talento que Deus me deu. Vejo muitos jovens aqui sonhando, e estamos aqui para incentivar. Muitos jovens vão para a escola, são ensinados pelos professores, então é bom você implantar o esporte nisso. O que me incentivava muito a ir para a escola era a educação física - contou ele, em entrevista concedida dentro da quadra montada no Campo de Marte, zona norte de São Paulo.

Zé Roberto disse mais uma vez que esta será sua última temporada como atleta profissional. Ele chegou a fazer o mesmo anúncio em 2016, mas voltou atrás após a conquista do título brasileiro e esticou seu contrato com o Palmeiras por mais um ano. Um dos motivos foi a possibilidade de disputar a Libertadores, uma das poucas competições que ele nunca venceu. Erguer essa taça e deixar um legado para as próximas gerações são os últimos objetivos de uma carreira vitoriosa.

- Cada um tem um propósito na vida, e o meu maior propósito quando criança era ser um atleta profissional. Consegui alcançar esse objetivo, e a partir do momento em que a ficha caiu ficou muito claro que eu não queria só passar pela minha vida profissional, mas queria passar deixando um legado. Nesses 23 anos de carreira profissional, o importante para mim não é estar deixando título, não é estar deixando marcas importantes, de ter jogado em grandes clubes, disputado duas Copas... É estar deixando um legado. Porque as outras pessoas observam esse legado e ele espalha, ele contagia. Quando contagia, você consegue deixar um exemplo. E esse exemplo sendo depositado em vidas de jovens, de pessoas que te admiram, com certeza só vai fazer bem para o próximo. Para o menino que joga no bairro, para os meus amigos que hoje jogam comigo e para todos que me admiram. Meu maior objetivo é deixar um legado e poder contagiar novas gerações - discursou.

- Esse ano está muito claro que vai ser o meu último ano, até porque eu já conquistei quase todos os meus objetivos. Com certeza vou em busca de mais um neste ano, e se conquistar, com certeza vou estar terminando minha carreira com chave de ouro. Com certeza esse será meu último ano, sim.

Zé Roberto completará 43 anos em julho. Antes de chegar ao Palmeiras, no início de 2015, ele vestiu as camisas de Portuguesa, Real Madrid, Flamengo Bayer Leverkusen, Bayern de Munique, Santos, Hamburgo, Al-Gharafa (QAT) e Grêmio. Além disso, disputou duas Copas do Mundo com a Seleção, em 1998 e 2002.

Às 21h45 de quarta-feira, contra o Peñarol (URU), no Allianz Parque, Zé Roberto deve completar seu 112º jogo pelo Palmeiras. O jogo é válido pela terceira rodada da fase de grupos da Libertadores, justamente quando começou a derrocada do clube no ano anterior.

- Esse ano é diferente, podemos pegar o ano passado como exemplo para não cometer os mesmos erros. Acho que nesse ano a gente assimilou de forma rápida que disputar um Paulista ou um Brasileiro é diferente de uma Libertadores. Na Libertadores, você joga em casa com times de menor expressão e tem dificuldade, porque esses times têm uma mentalidade diferente. O Palmeiras está com uma mentalidade nova. O importante na Libertadores não é jogar bonito, é ser objetivo e conquistar a vitória. Temos uma oportunidade de buscar a classificação em primeiro do grupo e estamos muito focados, a comissão técnica já está passando como é o time deles. Logo depois vamos jogar com eles fora, então ganhar esse jogo é importante - concluiu.













E MAIS: