Galvão reclama de bagunça da Conmebol; Caio vê descuido do Santos em "caso Sánchez"

Yahoo Esportes
Demora da Conmebol para julgar caso Sánchez motivou críticas de Galvão à entidade no programa Bem, Amigos! (Reprodução/SporTV)
Demora da Conmebol para julgar caso Sánchez motivou críticas de Galvão à entidade no programa Bem, Amigos! (Reprodução/SporTV)

O narrador da Globo Galvão Bueno demonstrou extrema irritação no programa Bem, Amigos! desta segunda-feira (27) com a demora da Confederação Sul-Americana de Futebol em julgar o caso do Santos envolvendo o meia uruguaio Carlos Sánchez. O clube paulista é acusado de escalar de forma irregular o jogador uruguaio contra o Independiente no último dia 21, no jogo de ida das oitavas da Libertadores, quando, segundo a entidade, o atleta deveria cumprir suspensão por expulsão na Copa Sul-Americana de 2015. Sánchez defendia o River Plate na época.

Você já viu o novo app do Yahoo Esportes? Baixe agora!

“Gente, quando é que foi o jogo? Foi na terça, dia 21. Como é que se deixa passar uma semana inteira, marca o julgamento para a véspera do segundo jogo, vamos para as 11 horas da noite e não tem solução? Como é que o cara [jogador do Santos] vai dormir? ‘Amanhã eu faço um gol e estou nas quartas de final ou tenho que fazer quatro gols?’ Gente, nem o mais louco cineasta da história do mundo seria capaz de criar um roteiro desse, uma coisa tão maluca, tão surreal, que é o que está acontecendo às véspera de uma decisão tão importante de uma vaga de Libertadores. Mas que mundo é esse que esses caras têm aqui nesse futebol da América do Sul?”, questionou, chegando até a defender que o time não entre em campo, já que em caso de punição o Santos teria que vencer a partida desta terça por 4 a 0, e não mais 1 a 0, para avançar na competição.

Incomodado com a indefinição a menos de 24h do confronto de volta – no meio do programa foi oficializado que a decisão ficou só para o dia seguinte -, Galvão desabafou: “São esses absurdos no futebol da América do Sul que desacreditam no futebol [local]. Talvez por isso tenhamos tido a Copa do Mundo que tivemos, sem ninguém da América do Sul ter apresentado nada, porque o Brasil jogou muito abaixo daquilo que se esperava. Se esperava muito mais do Brasil, se esperava muito mais da Argentina, da Colômbia, do Peru. O melhorzinho foi o Uruguai. Mas talvez seja por isso, essa bagunça institucionalizada.”

Consultado pelo narrador, o comentarista Caio Ribeiro lamentou pelos jogadores, técnico Cuca e torcedores santistas, mas não escondeu o seu inconformismo com a falta de cuidado do clube junto à Conmebol antes de escalar Sánchez.

No Bem, Amigos!, comentarista Caio Ribeiro disse que Santos “deu mole” no caso Sánchez (reprodução/SporTV)
No Bem, Amigos!, comentarista Caio Ribeiro disse que Santos “deu mole” no caso Sánchez (reprodução/SporTV)

“Eu acho que o Santos deu mole demais. É um absurdo a falta de cuidado que o Santos tomou nessa situação, por conta do contexto. O Santos consultou o site e dizia que ele estava liberado, apto para jogar. O Cuca consultou o departamento jurídico, perguntou ao presidente: ‘Posso escalar? Pode escalar’. Botou o menino em campo. O contexto: existe um racha entre CBF e Conmebol, Brasil e os outros países por causa desse voto [do Coronel Nunes para o Marrocos, em vez da acordada candidatura sul-americana por Estados Unidos, Canadá e México a sedes da Copa de 2026]. Então o contexto é contra os times do Brasil”, avaliou.

“Depois disso, existe um histórico. Numa situação parecida, não exatamente igual, da Chapecoense no ano passado, que foi desclassificada da Libertadores por ter colocado em campo um jogador que também não poderia. Então, o mínimo que o Santos tinha que ter feito era ter mandado um cara lá na Conmebol e ter falado: ‘Posso [colocar para] jogar?’. Documenta, manda um e-mail: ‘Consta no site da própria Conmebol que o jogador está apto a jogar. Vocês me confirmam essa informação?’. Porque aí quando chegasse na hora desse entrevero, pega o seu e-mail e fala: ‘Tá aqui, eu consultei vocês antes’. O Santos não fez nada disso. Tá correndo atrás agora. Tomara que não aconteça nada, porque os jogadores, o Cuca, o torcedor não têm culpa. Agora, eles deram um mole que é inaceitável se tratando de um time do porte do Santos”, criticou.

2 Minutos com Nicola – Copa do Brasil ou Libertadores?


Leia também