Galvão Bueno diz que pandemia o fez repensar decisão de não narrar Copa de 2022

·1 minuto de leitura
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, BRASIL 02.05.2018 Entrevista com o apresentador e locutor Galvão Bueno em seu escritório localizado no 24º andar na avenida Juscelino Kubitschek, na Vila Olimpia (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** SÃO PAULO, SP, BRASIL 02.05.2018 Entrevista com o apresentador e locutor Galvão Bueno em seu escritório localizado no 24º andar na avenida Juscelino Kubitschek, na Vila Olimpia (Foto: Eduardo Knapp/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - Após dizer que não iria narrar os jogos de futebol da Copa do Mundo de 2022, Galvão Bueno, 70, parece ter repensado a decisão. Em entrevista no Altas Horas (Globo) de sábado (17), ele afirmou que o tempo parado por causa da pandemia o fez refletir, e que já conversa com a Globo para mudar os planos.

O curioso é que foi no programa comandado por Serginho Groisman, em março deste ano, que o locutor tinha anunciado que não iria narrar as partidas da competição.

"Como eu já disse muita coisa no seu programa, confessei que sou torcedor do Flamengo no seu programa, rapaz... Esse ano parado já está me fazendo pensar um pouco. E já estamos conversando, direção da Globo e eu. Quem sabe aquela notícia que eu te dei não vale mais", afirmou Galvão.

O apresentador comemorou a notícia. "Que em 2022 você esteja tinindo par gente conseguir mais um caneco e ouvirmos suas emoções", disse Groisman.

Galvão Bueno contou que nunca tinha ficado tanto tempo sem narrar, já são sete meses, e que lamenta o relaxamento das medidas de proteção contra a Covid-19. "Quanta coisa que acho que começou antes da hora [...] É um drama, estamos atravessando uma turbulência terrível no mundo inteiro. Veja, neste momento a Europa volta a aumentar o número de casos, passamos de 1 milhão de mortos. Parece que as pessoas relaxaram no isolamento, mas continuamos com esse problema", afirmou.