Galo tem missão 'quase impossível' em batalha por vaga na Libertadores; veja

Nathália Almeida
90min

​Atlético-MG está entre os seis primeiros colocados do Brasileirão desde a 10ª rodada, feito complicado ao pensarmos no quão pareado é o campeonato. No entanto, o clube mineiro vive o seu período de maior turbulência justo na reta final do ano, levando as projeções matemáticas a colocá-lo como "azarão" na disputa por uma vaga na Libertadores de 2019.


Já segue a gente no Instagram? Clique aqui e venha para a Casa dos Torcedores!

Fluminense v Atletico MG - Brasileirao Series A 2018
Fluminense v Atletico MG - Brasileirao Series A 2018

De acordo com os cálculos do matemático Tristão Garcia repercutidos pelo ​Globoesporte, a projeção atual do Brasileirão prevê que 59 pontos é a campanha necessária para uma equipe terminar entre os seis primeiros. Tal previsão coloca o Galo em posição delicadíssima: o clube mineiro teria que somar 13 dos 18 pontos possíveis, com aproveitamento total de 72,22%. Quatro vitórias e um empate em seis jogos, sem brecha para tropeços.


Para se ter uma ideia do tamanho da "montanha" a ser escalada pelo Alvinegro, nem mesmo o Palmeiras - rival do Galo nesta rodada 33 -, tem campanha (%) semelhante. O líder do Brasileirão soma 68,8% de aproveitamento total, rendimento que precisará ser superado pelo Atlético-MG neste recorte final de temporada.


Ainda de acordo com as contas do matemático, o Galo não está entre os principais cotados para beliscar uma das vagas que ainda está em disputa. O Palmeiras é o único já garantido matematicamente na Libertadores 2019 via Brasileiro, com Fla, Inter e São Paulo encaminhados. Confira:



Equipe

Chances matemáticas de classificação (%)

​Palmeiras

​100%

​Internacional

​99%

​Flamengo

​99%

​São Paulo

​99%

​Grêmio

​99%

​Santos

​38%

​Atlético-MG

​31%

​Cruzeiro

​24%

​Atlético-PR

​9%

Para dificultar ainda mais o panorama atleticano, a tabela da equipe nestas seis rodadas finais não é das mais fáceis: Palmeiras (C), Paraná (F), Bahia (C), Internacional (F), Santos (F), Botafogo (C). Mais do que nunca, o Alvinegro terá que evocar a pecha de "time do impossível".

Leia também