Galo 'sobrevive' à turbulência fora de campo e mantém a liderança do BR

Valinor Conteúdo
·2 minuto de leitura


As últimas duas semanas do Atlético-MG foram de superação dentro e fora de campo. O time mineiro teve um surto de Covid-19, que afetou quase 30 profissionais do Galo, incluindo 10 jogadores do elenco, prejudicando a sequência da equipe no Campeonato Brasileiro.

O alvinegro teve de jogar três jogos com o grupo de atletas reduzido e ainda sem o técnico Jorge Sampaoli, que também foi acometido pela doença.

No saldo dos duelos contra Athletico-PR, Ceará e Botafogo, o Galo conseguiu quatro pontos, com uma derrota, para o Furacão, um empate, diante do Vozão e o triunfo sobre o Fogão, nesta quarta-feira, 25 de novembro, no Mineirão, por 2 a 1, gols de Sasha e Savarino, com Marcelo Benevenuto descontando para os cariocas.

E,a sobrevivência à “tormenta” da Covid-19 por parte do Atlético teve sua recompensa: a manutenção da liderança do Campeonato Brasileiro.

O Galo chegou aos 42 pontos, abrindo três de vantagem sobre o Flamengo, vice-líder, porém, com um jogo a mais em relação do Fla e ao Internacional. O São Paulo ainda tem dois jogos a fazer para ficar em dia na tabela e pode tomar o lugar do time mineiro na ponta da tabela.

O meia Hyoran destacou a raça do time e do grupo em superar o coronavírus, além de manter o foco na liderança do campeonato.
Esse momento(da Covid-19) muitos clubes passaram e o Atlético montou um elenco forte para acontecimentos como este. O grupo trabalhou e um ajudou o outro nas horas mais complicadas.E, contra o Botafogo conseguimos fazer uma grande partida e vamos continuar nessa batida para buscar nosso objetivo, que é o título brasileiro-disse o meia do Galo.

O Atlético-MG só volta a campo no dia 6 de dezembro, domingo, contra o Internacional, no Mineirão. Serão 11 dias de descanso, o que dará tempo de recuperar o elenco e ainda ter de volta Sampaoli e toda a comissão técnica, que foi acometida pelo novo coronavírus.