Galo misterioso: portões fechados e falta de detalhes em treinos

O Atlético não vence o Cruzeiro há quase dois anos. A última vitória alvinegra aconteceu no dia 19 de abril de 2015, de lá pra cá foram seis jogos, quatro tentos azuis e dois empates. Para mudar isso, o Galo precisa fazer diferente neste sábado, às 16h (de Brasília), no Mineirão, quando as equipes se enfrentam. O mistério é uma das armas alvinegras.

Leia mais:

No clássico, Atlético-MG terá semana de portões fechados

Mascote, crianças, instrumentos e ofícios: clássico cheio de polêmicas

O técnico Roger Machado vai esconder todos os seus treinamentos a partir desta quinta-feira. Neste dia, inclusive, a imprensa não terá acesso algum no CT – algo pouco usual em Minas Gerais. Já nesta sexta, os jornalistas terão entrada na Cidade do Galo por apenas 45 minutos, tempo que será dividido entre entrevistas e momentos para imagens, mas geralmente somente o aquecimento é liberado

Outra marca do técnico Roger Machado desde que chegou ao Atlético são os treinamentos diferenciados, as vezes de movimentação, em outros momentos trabalhos específicos de recomposição e contra-ataque, entre outros.

O mistério é tanto no Atlético que nem detalhes da movimentação foi dada. O goleiro Giovanni foi questionado sobre a marcação que o técnico atleticano fez e toda a atividade feita na Cidade do Galo. O atleta iniciou a resposta, mas, em seguida, evitou falar algo.

“Acho que é… esse trabalho do Roger aí… Eu não vou falar não, senão eu entrego, é um grande trabalho, ele faz grande trabalho, se eu der muito detalhe eu complico, pergunte ao Roger, quem sabe ele não libera detalhes”, disse o arqueiro sorrindo.

O jogo contra o Cruzeiro não muda em nada a situação atleticana na tabela. O clube preto e branco tem vantagem de seis pontos e não pode ser mais superado na liderança do torneio estadual, podendo contar com as vantagens da próxima fase.