Galiotte explica cláusula de Mina e diz que Cuca pode voltar no futuro

O empate já parecia definido no segundo jogo do Palmeiras pela Copa Libertadores da América, contra o Jorge Wilstermann, no Estádio Palestra Itália. Foi então que Yerry Mina apareceu como centroavante para dar a vitória ao Verdão, aos 50 minutos do segundo tempo. Já nas graças da torcida, o colombiano pode não ter mais tanto tempo de clube, conforme explicou o presidente Mauricio Galiotte.

“Tenho uma cláusula para saída do Yerry Mina. O Barcelona tem prioridade, não posso vender para outro clube se não permitirem. Estendemos essa cláusula até julho de 2018. Se quiserem levar o jogador agora, terão que pagar. Em 2018, tem um preço fixado para julho”, afirmou o mandatário do Verdão ao Esporte Interativo.

Galiotte falou também sobre sua relação com Cuca, ex-treinador do Verdão e comandante da equipe que quebrou um jejum de 22 anos sem conquistar o Campeonato Brasileiro. O presidente palmeirense admitiu a possibilidade do ex-técnico voltar, mas deixou claro que Eduardo Baptista é o escolhido para esse ano.

“Meu relacionamento com o é excelente. No futuro, pode voltar, é um excelente profissional. Em outubro, o Palmeiras já pensava em quem contratar para o lugar dele, o Eduardo foi escolhido a dedo. Esse ano, ele é o nosso técnico. O Eduardo reúne todas as condições para treinar o Palmeiras. Precisa de tempo, e terá”, completou, ainda ao Esporte Interativo.

Leia mais:

Sem suspenso Vitor Hugo, Palmeiras treina com reservas em campo

Leila Pereira une “rivais” e celebra vitória suada do Palmeiras

Felipe Melo valoriza vitória: “Nem o Barcelona está dando espetáculo”

Na terceira rodada da Copa Libertadores, às 21h45 (de Brasília) do dia 12 de abril, o Palmeiras enfrenta o Peñarol, novamente no Estádio Palestra Itália. Pelo Campeonato Paulista, às 18h30 deste domingo, o time alviverde encara o Santos, na Vila Belmiro.