Gal Costa já foi voz da Copa do Mundo de 1986

Torcedora do Bahia, Gal Costa cantou a chamada da Copa do Mundo de 1986.
Torcedora do Bahia, Gal Costa cantou a chamada da Copa do Mundo de 1986. Foto: (Mauricio Santana/Getty Images)

Falecida nesta quarta-feira, aos 77 anos de idade, ainda sem ter a razão da morte divulgada, a cantora Gal Costa teve protagonismo no futebol quando, em 1986, foi a intérprete da música 70 Neles, canção que serviu como chamada para a Copa do Mundo daquele ano, que foi disputada no México.

Veja a letra de 70 Neles

Vai começar de novo
É novamente tempo de paixão
Prepare o coração
Bate pé
É Brasil outra vez
Com a bola no pé

Com uma coragem nova
Se a vida é uma prova
Estamos aí pra vencer
O mundo inteiro vai ver como é
Brasil outra vez em pé

Oh-oh-oh-oh, oh-oh-oh-oh
Um grito novo a torcida uniu
Setenta neles outra vez Brasil

Oh-oh-oh-oh, oh-oh-oh-oh
Um grito novo a torcida uniu
Setenta neles
Setenta neles
Setenta neles outra vez Brasil

No coração da gente
Uma esperança quente
O pé do nosso craque
Que luta, que dribla
Que chuta, que marca o gol

Gritar um grito novo
O grito do povo
Coro que traz a emoção
Mostra que a força do povo é que é
Brasil outra vez em pé

Oh-oh-oh-oh, oh-oh-oh-oh
Um grito novo a torcida uniu
Setenta neles outra vez Brasil

Oh-oh-oh-oh, oh-oh-oh-oh
Um grito novo a torcida uniu
Setenta neles
Setenta neles
Setenta neles outra vez Brasil

Oh-oh-oh-oh, oh-oh-oh-oh
Um grito novo a torcida uniu
Setenta neles outra vez Brasil

Leia também:

Torcedora declarada do Bahia, Gal participou com os Doces Bárbaros, grupo formado por ela, Maria Bethânia, Gilberto Gil e Caetano Veloso, de um disco em que canções da torcida do Tricolor de Aço.

Brasil na Copa do Mundo de 1986

Vencida pela Argentina, a Copa de 1986 foi amarga para a Seleção Brasileira, que foi eliminada nas quartas de final, nos pênaltis, para a França, que seria algoz novamente em 1998 e 2006. No tempo normal, Careca abriu o placar aos 17 minutos do primeiro tempo, mas Michel Platini empatou aos 40 da primeira etapa. Na marca da cal, Platini foi o único francês a desperdiçar a cobrança. Do lado do Brasil, Sócrates e Júlio César falharam.