Gabriel vê atuação do Corinthians como uma das melhores de 2017

O Corinthians chegou a ter somente 35% de posse de bola diante da Universidad de Chile, nesta quarta-feira, em Itaquera, mas conquistou uma importante vitória por 2 a 0 no jogo de ida da primeira fase da Copa Sul-Americana. Para o volante Gabriel, a atuação merece elogios.

“Foi uma vitória importantíssima. Sabíamos que deveríamos construir uma vantagem boa para ir ao Chile, principalmente sem tomar gol. O princípio era este: pressionar e fazer o gol quando tivéssemos a oportunidade. Foi uma das nossas melhores partidas do ano”, exaltou o ex-jogador do rival Palmeiras.

Gabriel reconheceu, contudo, que o Corinthians não chegou a empolgar a sua torcida em boa parte do jogo contra os chilenos. De qualquer forma, ele valorizou o trabalho dos seus companheiros de defesa ao falar sobre a pressão feita por La U. “É claro que eles tocam bem a bola e tiveram mais posse em certo momento, mas a gente se defendeu bem. Na garra e na determinação, fomos bem”, argumentou.

O lateral esquerdo Guilherme Arana, que se desentendeu com alguns adversários, seguiu a linha de raciocínio do companheiro. “Foi um jogo muito pegado. Aconteceu um lance em que me choquei com o atacante deles. Mas isso é Corinthians: brigar a cada jogo. Todos estão de parabéns”, disse o prata da casa.

O reencontro de Gabriel, Arana e dos demais corintianos com a Universidad de Chile ocorrerá apenas em 10 de maio, em Santiago, onde o Corinthians poderá perder por até um gol de diferença para avançar à próxima etapa da Sul-Americana.

“Todo jogo é uma guerra. Tenho certeza de que o estádio estará lotado, de que será uma pressão enorme, mas vamos treinar para isso. Devemos pensar no Botafogo-SP e depois na Sul-Americana para conseguir um bom resultado também fora de casa”, concluiu Guilherme Arana, lembrando que o Corinthians disputará o jogo de volta das quartas de final do Campeonato Paulista neste domingo, em Itaquera.