Gabriel Poveda, artilheiro da Série B, está livre no mercado após deixar o Sampaio Corrêa

Gabriel Poveda foi o artilheiro da última Série B (Reprodução/Gabriel Poveda/Instagram)


Ele foi o jogador mais decisivo da Série B do Brasileiro, artilheiro da competição com 19 gols (além de duas assistências), e é natural a fase das muitas sondagens e especulações. Mas o atacante Gabriel Poveda, de 24 anos, quer apenas curtir as férias e recarregar as energias junto a sua família para voltar ainda mais forte em 2023. Seu contrato com o Sampaio Corrêa chegou ao fim e ele está livre para jogar em outro clube após viver a melhor temporada de sua ainda curta carreira.

- A temporada de 2022, com toda certeza, vai ficar marcada na minha vida. Desde que cheguei ao Sampaio Corrêa, o ambiente sempre foi muito favorável para que a gente chegasse no campo e ficasse à vontade para desenvolver nosso trabalho. O que ficou claro logo na nossa estreia no ano, contra o Altos, na vitória de 2 a 1, em que pude fazer os dois gols. Ali se iniciava um ano maravilhoso pra mim. Comecei a Série B na reserva, mas continuei trabalhando forte esperando minha chance de novo no time. E ela apareceu contra o Vila Nova no primeiro turno, quando pude fazer um gol e, a partir dali, nunca mais saí do time - contou Gabriel.

Não só não saiu mais da equipe como se tornou o principal nome na campanha que por muito pouco não conduziu o Sampaio Corrêa para a divisão de elite do futebol brasileiro, do qual está fora desde 1986 – terminou em quinto lugar, a apenas uma posição do G4. Poveda, que disputou 37 das 38 partidas do time na Série B, e um total de 52 no ano, ainda lamenta a arbitragem do campeonato que, na sua opinião, prejudicou a equipe.

- Chegamos até o fim brigando pelo acesso, e sendo o clube com a menor folha salarial da competição, o que precisa ser destacado. E aqui não tenho como não comentar os erros de arbitragem, o que acabou frustrando a gente e a torcida no nosso objetivo. Ainda consegui terminar como artilheiro em uma Série B que, para muitos, foi a mais difícil de todos os tempos pelo número de grandes equipes e campeões brasileiros. Briguei pela artilharia com nomes como Diego Souza e Lucca, que são grandes jogadores, de um nível muito alto, que passaram por clubes gigantes. É um troféu individual, mas que tem a participação de todo o grupo. Muito feliz de levar essa premiação para São Luís, um lugar que vai ficar na minha memória - afirmou.

+ Vasco faz consulta por atacantes de Atlético-GO e Goiás

Em 2023, ele diz que quer continuar jogando em alto nível, num grande time, e que está pronto para tal missão. Afirma que, desde criança, como todo garoto que quer ser jogador, sonha em poder disputar uma Libertadores, um Brasileiro, uma Copa do Brasil, e esse sempre foi um de seus objetivos. E reforça que o sarrafo aumentou e que a cobrança também será maior.

E, como todos os brasileiros, já está na expectativa para a Copa do Mundo, que começa daqui a quatro dias. Aposta todas as suas fichas no Brasil, faz coro por Neymar, mas aponta duas seleções que também chegam muito fortes ao Qatar, que merecem todo respeito e atenção dos adversários.

- Estão todos muito empolgados com o momento da Seleção Brasileira e não sou diferente. Acredito que é a melhor de todas, que tem os melhores jogadores, e sou mais um na torcida pelo Hexa. Torço muito para que o Neymar, especialmente, consiga esse título, por tantas críticas que recebe, ao meu ver injustas. Ele merece. Mas vejo outras duas forças: a França, por ser a atual campeã e por contar com grandes nomes, como Benzema e Mbappé, e a Argentina, pelo que mostrou na Copa América e por tudo o que o Messi representa. Por jogar sua última Copa, acho que haverá uma mobilização ainda maior para que ganhe o único título que ainda lhe falta - finalizou.